02 julho 2022 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

Um suicídio ocorrido nas Caldas das Taipas, em 1761

António José Oliveira
Opinião \ quinta-feira, junho 02, 2022
© Direitos reservados
Através de um assento de óbito redigido pelo pároco da freguesia de São Tomé de Caldelas, o vigário Domingos Fernandes, temos notícia de um suicídio ocorrido nesta povoação.

Pela leitura deste assento de óbito datado de 8 de junho de 1761, sabemos que António da Silva morador no lugar da Eira, da freguesia de São Tomé de Caldelas “faleceo da vida prezente”, sem receber sacramentos alguns por se ter enforcado com uma corda, tendo-se encontrado “morto em sua casa com ella (corda) ao pescoço”.   

Continuando a leitura deste registo de óbito existente no Arquivo Municipal Alfredo Pimenta, constatamos que António da Silva “andava com algumas sismas procedidas de huma demanda que trazia”. O pároco não especifica o teor das cismas e das demandas, que levaram António da Silva a cometer o suicídio.  No entanto, pelas palavras do pároco podemos inferir, que possivelmente foram perturbações mentais e/ou psicológicas e dificuldades com algum processo judicial, que levaram ao enforcamento deste taipense há precisamente 260 anos.

No dia 9 de junho de 1761, o corpo de António da Silva, com licença do Doutor Provisor do Arcebispo Primaz de Braga, foi sepultado no interior da Igreja Paroquial de São Tomé de Caldelas. O seu ofício fúnebre foi acompanhado por dez padres.