28 novembro 2022 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

As Festas da Vila e de São Pedro nas Taipas, em 1957

António José Oliveira
Opinião \ quinta-feira, junho 30, 2022
© Direitos reservados
Consultando as crónicas do Sr. José de Oliveira, correspondente das Caldas das Taipas no semanário “Notícias de Guimarães”, podemos aferir como eram vivenciadas as festas da vila e de São Pedro.

Nesta vila termal e turística decorrem, mais uma vez, as célebres festas em honra de São Pedro, que possuem raízes conhecidas, pelo menos desde os inícios do século XX.

Apesar do orago desta freguesia ser São Tomé, são as festividades em honra de São Pedro, que de pescador de peixes se transformou em pescador de Almas, que congregam em si as atenções, a devoção e a folia dos taipenses, bem como, das populações vizinhas.

Consultando as crónicas do Sr. José de Oliveira, correspondente das Caldas das Taipas no semanário “Notícias de Guimarães”, podemos aferir como eram vivenciadas as festas da vila e de São Pedro e o seu respetivo programa, há 65 anos atrás.

No artigo de José de Oliveira intitulado “Festas da Vila e Feiras Francas de S. Pedro”, publicado no “Notícias de Guimarães”, a 23 de junho de 1957, temos conhecimento, de que estas festas foram organizadas segundo o patrocínio da Câmara Municipal de Guimarães da Junta de Turismo da Estância Termal das Taipas, com o seguinte programa:

Dia 29 – às 8 horas salvas de morteiros e grupos de Zés Pereiras anunciado o começo das festas. Às 14 horas, entrada na vila das Bandas de Música de Revelhe (Fafe) e Caldas das Taipas, seguindo-se um concerto no Jardim Público. Às 15 horas, distribuição de prémios aos melhores exemplares de raça bovina que comparecessem na feira. Às 21horas entrada da Banda de Pevidém. Às 22 horas, grandioso festival ma Avenida da República, com concertos pelas Bandas de Revelhe e Pevidém. A finalizar o dia, sessão de fogo de artifício, em competição entre os melhores fogueteiros da região, disputando um valioso prémio.

Dia 30 – Às 8horas repetição das várias manifestações festivas do dia anterior. Às 14 horas, concerto pelas Bandas de Pevidém e Taipas. Às 15h30 grande gincana de automóveis, organizada pelo Clube Caçadores das Taipas, no Parque das Termas. Às 22 horas, brilhantíssimo festival, com o concurso das Bandas de Pevidém e Taipas. Grande sessão de fogo preso. Durante o dia decorriam divertimentos populares. Durante estes dois dias funcionaria na Avenida da República, uma barraca de caldo verde, “a cargo de gentis meninas da vila”.

No final deste artigo, é referido que nos dias 29 e 30, as empresas de camionagem “A Viação”, “Viação Auto-Motora, de Braga, e empresa “Joaquim Rodrigues”, organizariam carreiras de camionetas, entre Braga-Taipas-Guimarães e Taipas-Póvoa de Lanhoso.

Após a realização destas festas, José de Oliveira, na edição de 6 de julho do mesmo periódico, faz um balanço positivo das mesmas, vejamos:

As Festas da Vila decorreram com grande animação, registando-se um movimento elevado de forasteiros.

As decorações foram muito apreciadas e à noite as iluminações eram deslumbrantes.

As Bandas de Revelhe, Pevidém e Taipas deliciaram os apreciadores de boa música com os seus magníficos concertos.

As sessões de fogo de artificio agradaram plenamente.

A Gincana de Automóveis, integrada nas Festa da Vila, esteve também muito animada, tendo as provas dos vários concorrentes despertado interesse na assistência que aplaudiu os vencedores”.

A terminar esta notícia, José de Oliveira, apresenta as classificações da gincana de automóveis. Entre os primeiros dez classificados, podemos constatar, que eram originários das seguintes localidades: Paredes, Porto, Guimarães, Vila Nova de Famalicão, Pevidém, Caldas das Taipas. Residente nas Caldas das Tapas, encontrámos José Machado Guimarães classificado em 10º lugar.