19 abril 2024 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

Toponímia VIII: Rua Comandante Carvalho Crato

Carlos Marques
Opinião \ terça-feira, março 05, 2024
© Direitos reservados
Na tarefa que melhor serviu a nossa terra, quando às 17 horas do dia 26 de junho de 1939 na sede da nossa Junta de Turismo da Estância Termal das Taipas toma posse como seu Presidente da Direcção.

A entronização de José Eduardo de Carvalho Crato na toponímia taipense acontece por decisão da junta de freguesia de Caldelas, sede da vila de Caldas das Taipas, em reunião de 18 de janeiro do ano de 1954, saldando assim uma dívida de gratidão para com o antigo e ilustre Presidente da Junta de Turismo, e a quem as Taipas ficaram a dever uma grande parte dos seus melhoramentos, ficando deste forma eternizado o seu nome, situa-se na EN 101 onde a 12 de Maio de 2018 pintei de amarelo os seus marcos hectométricos 4, 5 e 6 do seu quilómetro 104 e fica entre o Largo António Gonçalves e a rotunda de saída para a cidade de Braga.

Sendo de referir que a nobreza do nosso povo e seus eleitos mesmo depois da revolução do 25 de abril de 1974 nunca tão pouco sonharam substituir o seu topónimo, bem como doutros ilustres taipenses, embora sabendo que foi um servidor no regime do Estado Novo.

Em 3 de Novembro de 1929 é admitido como sócio protector da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Caldas das Taipas. Em 14 Março de 1940 torna-se seu Presidente da Mesa da Assembleia Geral.

No dia 20 de dezembro de 1939 é nomeado representante da Câmara na Casa dos Pobres de Caldas das Taipas, e no dia 4 de Maio de 1941 inaugura as salas da Casa dos Pobres, integradas no edifício da Junta de Turismo. Numa simples e encantadora festa, com missa, Hino Nacional executado pela Banda dos Bombeiros Voluntários de Caldas das Taipas, discursos de ocasião e serviço das primeiras 20 refeições aos pobres

E, na tarefa que melhor serviu a nossa terra, quando às 17 horas do dia 26 de junho de 1939 na sede da nossa Junta de Turismo da Estância Termal das Taipas toma posse como seu Presidente da Direcção. A 27 de Abril de 1940 preside à reunião extraordinária na Junta de Turismo da Estância Termal das Taipas, com a presença dos restantes membros Dr. Francisco Pereira de Carvalho Ribeiro, Tomaz Rocha dos Santos, Joaquim da Silva Ferreira Monteiro e João de Miranda Castro Antunes Guimarães. Por unanimidade é resolvido pedir ao Excelentíssimo Senhor Ministro do Interior a elevação à categoria de Vila da freguesia de Caldelas, ficando encarregado de dirigir o mesmo pedido e de solicitar parecer favorável do Excelentíssimo Senhor Governador Civil do Distrito, Junta de Província do Minho, Presidente da Câmara Municipal de Guimarães e Junta de Freguesia de Caldelas, o Secretário desta Junta de Turismo, Excelentíssimo Sr. João de Miranda Castro Antunes Guimarães. A 30 de Abril, o Presidente da junta de freguesia, Manuel José Pereira, juntamente com ele, Carvalho Crato ambos solicitam ao Ministro do Interior tão cara, como justa petição, que viria a ser concedida no dia 19 de Junho, de então para cá, dia de maior júbilo para a nossa terra e nosso povo.

No dia 15 de Junho de 1940 no edifício da Junta de Turismo, em sinal de reconhecimento pelos altos serviços que tem prestado às Caldas das Taipas, todos os seus elementos decidem homenageá-lo descerrando-se na sua galeria, um seu retracto, para cuja cerimónia são convidados o Governador Civil do Distrito, José Joaquim de Oliveira, o Presidente da Câmara, João Rocha dos Santos e o Deputado Dr. João Antunes Guimarães, a fim de que se revista, como é justo, do maior brilho e entusiasmo. Cerimónia que ocorre às 18 Horas do dia 24 de Agosto quando também são enaltecidos e colocados na mesma galeria as imagens de Dr. João Rocha dos Santos e a de Dr. João Antunes Guimarães, deste e no mesmo dia é colocada a lápide placa toponímica em mármore no largo em frente da junta de Turismo, ouvindo-se nessa altura, calorosos vivas e palmas, os acordes musicais da Maria da Fonte e o Hino Nacional executado pela Banda dos Bombeiros Voluntários das Taipas. Seguiu-se à noite um animado arraial minhoto, promovido por uma comissão de Senhoras no ring do Parque do Turismo e o seu produto reverte a favor dos pobres da vila. A Comissão promotora do arraial contou com iluminações, fogo, música, barracas, etc., etc, teve à sua frente a D. Isabel Maria Pinheiro Torres, D. Isaura de Moura Machado, D. Maria do Carmo Pinheiro Torres, D. Maria Elisa Pinheiro Torres, D. Maria Elena de Brion, e D. Vera de Carvalho Crato, esposa de José Rosas Guimarães.

No dia 4 de maio de 1941 inaugura as salas da Casa dos Pobres, integradas no edifício da Junta de Turismo, de quem é presidente. Numa festa simples e encantadora. Com missa, Hino Nacional executado pela Banda dos Bombeiros Voluntários de Caldas das Taipas. Discursos de ocasião e serviço das primeiras 20 refeições aos pobres.

A 30 de Novembro de 1941 na reunião da Junta de Turismo apresenta para aprovação superior o plano de actividade turística para o ano de 1942, e, acto contínuo pede a sua exoneração do cargo de Presidente devido aos seus muitos afazeres, na cidade do Porto, que não lhe permitiam poder prestar uma assiduidade aos assuntos do Turismo como se tornava necessário.

Cursou na Escola Politécnica de Lisboa e depois na Escola Naval sempre com grande distinção, Foi oficial da Marinha de Guerra, Capitão de Fragata e Capitão de Mar e Guerra, Foi chefe de gabinete do governador-geral de Angola em 1911,. Combateu na Primeira Guerra Mundial. Chefe de gabinete do ministro das Colónias e do ministro da Marinha,  membro da Junta Revolucionária de 19 de outubro de 1921 e nomeado Ministro das Colónias. Adido naval em ParisFrança, chefe dos Departamentos Marítimos do Sul e Norte, da Missão de Construção de Torpedos em Weymouth, em 1932, e da Missão de Construção de Contratorpedeiros em Glasgow, ambas no Reino Unido. Realizou missões de serviço importantes em Portugal e no estrangeiro. Comandou o Navio-Hospital Gil Eannes e os antigos destroyers Vouga e Guadiana e o moderno Vouga, além da fragata D. Fernando II e Glória. Comandante da Escola de Artilharia Naval e da Esquadra na Festa da Marinha de 1938. Em 1939, sendo Capitão de mar e guerra, foi administrador da "Não-Intervenção na Guerra de Espanha" em Dover. Foi Capitão do Porto de São ToméPresidente da Junta Autónoma dos Portos do Douro e Leixões.

Nasceu em Setúbal no dia 14-10-1877 tendo falecido com 70 anos de idade em 1947. Casou em Lisboa a 30 de janeiro de 1915, com Margarida de Barros Pereira de Carvalho, senhora da Casa da Mogada na freguesia taipense de São Clemente de Sande de quem não deixou descendência.

A ele se deve entre outras obras, a construção da iluminada Avenida do Parque da Junta de Turismo, agora Alameda Rosas Guimarães, com amplos passeios pedonais, acessos viário ao parque com zonas de estacionamento e nos separadores da avenida com formosos jardins de lindas fores, agora sem a nossa Junta de Turismo das Taipas  substituídas apenas por relva e arbustos, agravado com o embuste nas obras d’agora a CMG ter cometido o crime da inestética amputação da saída, levando a constantes constrangimentos rodoviários   

Ah, tanta falta nos faz a nossa Junta de Turismo, a nossa autonomia, o podermos ser nós a decidir.

Caldas das Taipas no dia 25 de Fevereiro de 2024