13 agosto 2022 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

Regresso ao Rio Ave

Alfredo Oliveira
Opinião \ terça-feira, agosto 02, 2022
© Direitos reservados
O rio Ave passou a ser alvo de atenção. A recuperação das margens e as ciclovias que estão a ser implementadas levam mais pessoas a esses locais e estas tornam-se mais vigilantes.

Existem alturas do ano que nos fazem recuar no tempo e recuperar boas memórias de momentos vividos. O verão é um desses períodos.

Há algumas décadas, o rio Ave era conhecido e usado desde o açude de Campelos/Vila Nova (pelo menos era assim que era designado, apesar de estar localizado em Brito), até chegar à ponte de Barco. Para a maioria dos nossos leitores, a praia do parque era o lugar de eleição, mas o açude de Além também era muito frequentado, bem como diversos locais que se estendiam até Barco.

Sem dúvida, as margens do rio Ave eram um excelente local para passar umas boas tardes no período estival.

Com o tempo, o peso da indústria e da pressão urbanística, entre outros fatores, sobrepuseram-se à questão ambiental e o rio Ave foi-se afundando com todo o tipo de poluição.

Como escrevemos diversas vezes, neste mesmo espaço, ao longo das últimas décadas, vivemos de costas voltadas para o rio. Com o passar dos anos, os jovens foram aceitando com naturalidade que o rio era um recurso poluído e, como tal, não poderia ser usado nos períodos de lazer. Ou seja, a nossa geração não manteve nem criou condições para oferecer aos mais jovens o que tivemos no passado.

Felizmente, as coisas estão a mudar. Nos últimos anos, foi-se reafirmando uma maior consciência ambiental junto das pessoas. Estas foram exercendo uma pressão junto dos políticos para se mudar o estado das coisas.

As entidades responsáveis pela gestão destes espaços foram mudando de visão e o rio Ave passou a ser alvo de atenção. A recuperação das margens e as ciclovias que estão a ser implementadas levam mais pessoas a esses locais e estas tornam-se mais vigilantes. Na maior parte dos casos, o mais difícil não é criar algo, o mais complicado é manter-se em pé determinado projeto.

Ainda não perdemos o sonho e a vontade de fazer um treino de atletismo a começar na margem direita do Ave, nas Taipas, dar a volta em Brito, regressar pela margem esquerda, dar a volta em Barco e terminar no mesmo local de início com um mergulho no rio Ave para retemperar as forças.

Finalmente, para todos, umas boas férias.