23 outubro 2021 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

À procura de uma solução para a Pensão Vilas

Alfredo Oliveira
Opinião \ terça-feira, maio 04, 2021
© Direitos reservados
Ver adversários políticos no passado a tentarem, finalmente, encontrar uma solução, juntando forças, é de salientar e leva-nos a acreditar que será possível concretizar o Lar de Idosos.

O executivo da junta de Freguesia de Caldelas, liderado por Constantino Veiga, compra o edifício da antiga Pensão Vilas em 2009. Armando Marques era o tesoureiro. Passados doze anos, Armando Marques é o presidente da Associação para o Desenvolvimento Integrado das Taipas (ADIT) e, a Junta de Freguesia, quem a lidera é Luís Soares.

Ao longo destes anos, o destino final deste edifício emblemático viu-se envolvido em demasiadas questões políticas, envolvendo os dois partidos tradicionalmente mais votados, PSD e PS.

No destaque desta edição sobre a Pensão Vilas, Armando Marques e Luís Soares pretendem, nesta fase do processo, afastar as questões políticas deste empreendimento. Em causa estará uma possível concretização de um apoio via comunidade europeia através do Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais (PARES). Não será fácil, pois geralmente surgem demasiadas candidaturas para os apoios disponíveis.

No entanto, ver adversários políticos no passado a tentarem, finalmente, encontrar uma solução, juntando forças, é de salientar e leva-nos a acreditar que será possível concretizar o Lar de Idosos ou Residencial Sénior naquele espaço.

 

Infelizmente, o problema que se vive na Turitermas avançou para um nível que era impensável quando o “sonho” de Hélder Pereira e Ricardo Costa foi oficialmente apresentado a 4 de setembro de 2015, dia da inauguração do novo edifício da Clínica Médica de Saúde.

A 14 de abril de 2021, a direção da cooperativa Taipas-Turitermas "comunicou a decisão unilateral de rescindir, com efeitos imediatos, o contrato de prestação de serviços médicos, que legalmente se encontrava em plena vigência” para com Hélder Pereira.

Em meia dúzia de anos o sonho esfumou-se e a realidade irá passar, certamente, para outro patamar.

 

Sobe

O fim do estado de emergência às 23h59 de sexta-feira, 30 de abril, foi um dos momentos mais desejados nos últimos meses, pela envolvência de toda a situação.

Trata-se de um sinal claro de que o país poderá entrar num novo rumo quanto ao combate à pandemia provocada pela covid-19 e, naturalmente, pela quebra na transmissão do vírus, pela diminuição do número de pacientes nos hospitais e pela quebra do número de mortes.

Que se mantenha esta tendência.

 

Desce

Apesar de alguns sinais positivos dados pelo principal responsável pela ADIT, na reportagem publicada nesta edição sobre a Pensão Vilas, não deixa de ser lamentável, para os taipenses, ver o estado atual desse edifício.

Doze anos passados, muita conversa política na sua origem, é urgente que impere um certo pragmatismo neste projeto.

Em ano de eleições autárquicas espera-se que as clivagens políticas não emperrem essa construção por mais uma dúzia de anos.