29 fevereiro 2024 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

A toponímia na vila de Caldas das Taipas - I

Carlos Marques
Opinião \ sábado, fevereiro 25, 2023
© Direitos reservados
O nosso nome tem origem nas barracas e vedações de madeira revestidas a taipa (Taipas) existentes nos balneários, piscinas d’agua termal, por isso quente (Caldas e Caldelas).

Acerca do tema que passarei a abordar nos próximos números da nova roupagem deste jornal, o da toponímia da vila de Caldas das Taipas.

Rezam assim as primeiras indicações escritas e conhecidas com referência à nossa ancestral terra:  Caldelas (São Tomé), concelho de Guimarães. 1059, «Villa de Caldelas (...) et ecclesia Sancti Tome apostoli» (DC., nº 420). 1091 e 1097, «villa Caldelas» e «in Caldelas» (L. Fidei, docs. 321 e 378). 1099, «villa Caldelas subtus mons Obtinu teritorio Brakarense discurente ribolo Ave inter bis alveis Ave et Aliste» (DC., nº 904). 1220, «De Sancto Thome de Caldelis». 1248, «Parrochia Sancti Thomae de Caldellis» (VMH., n.os 239 e 240). 1258, «In collatione Sancti Thomei de Caldelas». 1290, «Freguesia de Sam Thome de Caldelas». 1320, «Ecclesia Sancti Thome de Caldelis ad centum et triginta et quinque libras», T. Do Chantrado. 1371, «Ecclesia Sancti Thome de Caldelas in primo triennio XL solidos VI denarios», T. Do Chantrado. 1528, «São Thome de Caldellas [anexa] ao quabido de Guimarães», T. Do Chantrado.

Terra com mais de 2 mil anos de história pela ligação ao castro de Sabroso e à citânia de Briteiros, passando pela romanização que por aqui passou e se instalou, donde deriva o nosso nome quer o de Caldelas como o de Caldas, e até o de Taipas. O nosso nome tem origem nas barracas e vedações de madeira revestidas a taipa (Taipas) existentes nos balneários, piscinas d’agua termal, por isso quente (Caldas e Caldelas), das nossas Termas Romanas com vestígios existentes na Travessa dos Banhos Velhos e Largo Frei Cristóvão dos Reis, que é cenário no filme do realizador Vicente Alves do Ó, “Amadeo” demonstrando o tratamento que no final da sua vida aqui se submeteu o grande pintor Amadeo de Sousa Cardozo, actualmente em exibição para o que convido todos os taipenses a ver.

Ainda hoje ao escrever e dizermos o nome do nosso território, o definimos como Caldelas, Taipas ou Caldas das Taipas, e não é de estranhar porquanto já em 15/02/1937 o Governo de então pediu à municipalidade, e esta transmitiu-lhe estes três nomes, decorrendo que Caldelas, outrora de São Tomé de Caldelas, é uma das muitas freguesias duma unidade maior que compõe Caldas das Taipas, que aqui tem a sua sede e desde 19/06/1940 com o estatuto de vila, servindo as freguesias vizinhas como está expresso e definido em diversas leis, portarias e estatutos, designadamente de Junta de Turismo, Guarda Nacional Republicana, Saúde Pública e Familiar, Escolas Básicas e Secundária, Corporação de Bombeiros, Clube Caçadores das Taipas e outras instituições.

A toponímia é por definição o estudo da etimologia e a explicação dos topónimos. Tentarei nos próximos números do jornal apresentar o estudo de investigação histórica referente aos que me for possível, dos que estão ou estiveram em uso na freguesia central de Caldas das Taipas, a de Caldelas, dando suporte à identidade da nossa terra, do nosso sítio e sua evolução, da nossa cultura nas suas diversas componentes, podendo assim perceber a razão de ser e sentir do nosso povo, dos nossos homens e mulheres, do que nos diferenciamos das demais localidades.

 

Toponímia (descrita na imagem) em uso, em desuso e proposta:

No espaço geográfico actual temos classificadas e identificadas com topónimos em uso que entronizam as 140 artérias, assim distribuídas: 85 Ruas, 16 Travessas, 13 Vielas, 7 Avenidas, 7 Largos, 4 Pracetas, 2 Praças, 2 Calçadas, 1 Alameda, 1 Beco, 1 Rotunda e 1 Urbanização.

Quatro topónimos repetem-se por três vezes, sendo que dezasseis por duas vezes, perfazendo assim 116 nomes diferentes que me proponho apresentar e justificar ao longo dos próximos números do jornal.

Estarão em estudo 57 nomes de lugares antigos, 14 de políticos, 7 de profissionais e actividades, 7 de instituições locais, 7 de santas/santos (e nenhum deles é o São Pedro), 5 de figuras literárias, 4 de música, 5 de beneméritos, 4 de datas históricas, 3 de pessoas ligadas ao meio associativo e 3 de padres. Abordarei também 33 topónimos em desuso, além doutros nomes que foram propostos e vencidos. Das 38 personalidades em uso, 37 são masculinas e apenas 1 é feminina.

 

Caldas das Taipas, 29 de Janeiro de 2023