24 fevereiro 2024 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

Aterosclerose! O que é? Como prevenir?

Elisabete Alves
Opinião \ segunda-feira, maio 01, 2023
© Direitos reservados
A adoção de estilos de vida saudáveis, que inclui uma alimentação adequada e prática regular de exercício físico, não fumar pode modificar muitos dos fatores de risco.

O mês de maio é o mês do CORAÇÃO, por isso torna-se fundamental falarmos daquela que é uma doença muito prevalente em Portugal, a aterosclerose.

A aterosclerose  é uma doença vascular e além disso um importante fator de risco para tantas outras doenças cardiovasculares. Trata-se de um processo inflamatório lento e progressivo que resulta do depósito de gordura e células inflamatórias nas paredes internas das artérias. Esta acumulação resulta na formação de placas ateroscleróticas que diminuem o calibre das artérias, obstruindo o fluxo sanguíneo normal. Além disso estas placas podem libertar pequenos fragmentos/coágulos que migram para outras áreas do corpo e levar a obstrução sanguínea nesse local, ou seja, levar ao conhecidos enfartes.

São vários os fatores que aumentam o risco de ter esta doença, nomeadamente:

  • Hipertensão arterial
  • Diabetes mellitus
  • Dislipidemia (colesterol aumentado)
  • Excesso de peso
  • Tabaco

Alguns fatores de risco não podem ser alterados, como é o caso da idade ou da história familiar.

Está recomendado o rastreio da diabetes e dislipidemia a todos os adultos saudáveis a partir dos 40 anos; antes se excesso de peso ou obesidade ou outras condições clínicas de maior risco! A avaliação tensional à semelhança do peso deve ser feita desde a infância, de forma a intervir o mais atempadamente possível.

A adoção de estilos de vida saudáveis, que inclui uma alimentação adequada e prática regular de exercício físico, não fumar, e nos casos apropriados, tratamento farmacológico, pode modificar muitos dos fatores de risco e diminuir o desenvolvimento desta doença e respetivas sequelas ou mortalidade associada.

Aconselhe-se junto da sua equipa de família, pois esta poderá ajudar na implementação de rotinas mais saudáveis, cessação tabágica e prescrição dos medicamentos mais adequados a cada caso. Reforça-se que o diagnóstico e tratamento precoces diminuem o risco de progressão da doença e ocorrência de enfarte cardíaco, acidente vascular cerebral (AVC) ou outros acidentes vasculares.