01 março 2024 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

2023: um ano de ouro para a cena musical das Caldas das Taipas

Pedro Conde
Opinião \ quarta-feira, janeiro 17, 2024
© Direitos reservados
Resta saber o que nos espera este novo ano. Será que vamos conseguir superar? Espero que sim. Depende apenas de nós, sim, de cada um de nós apoiar, da forma que podemos e sabemos, todo este movimento.

O passado ano de 2023 foi sem dúvida um ano de ouro a nível da cena musical da nossa zona. A nossa pequena terra conseguiu durante esse ano consolidar o que venho falando há já algum tempo e prova, dia após dia, que cada vez mais, Caldas das Taipas e todo o seu núcleo de artistas e promotores se estão a tornar uma referência no panorama artístico Regional e Nacional.

Nesse ano vimos os Banhos Velhos, numa época de confirmação, como um espaço de espetáculos de referência a nível nacional. Concertos com milhares de pessoas na nossa terra numa temporada extraordinária deste espaço. Um público que se expandiu à região e onde vimos pessoas de Braga, Barcelos, Famalicão e Porto, que se deslocaram, religiosamente, às Taipas para consumirem música.

Ao mesmo tempo, aconteceu o fenómeno do Rock in Rio Febras. Acho que ainda ninguém conseguiu bem assimilar a grandiosidade do que aconteceu, neste episódio do ano de 2023. O que é certo é que este pequeno Festival projetou Briteiros e Guimarães para o mundo. Foi, simplesmente, lindo de ver os projetos e bandas taipenses e vimaranenses a dar entrevistas em prime time para todos os canais de televisão nacionais. Foi maravilhoso assistir, o poder do povo, e a capacidade que uma comunidade consegue ter, quando se trabalha acima de tudo com o coração.

Não podia deixar de fora o fenómeno de novo espaço O’Cunha, que tem dinamizado o centro das Taipas e a sua nova praça central de uma forma que poucos julgavam possível. Durante o mês de dezembro tivemos vários fins de tarde, no centro da nossa Vila, que ao mais distraído que passasse na rua poderia confundir estar noutra praça qualquer de alguma cidade central, com centenas e centenas de pessoas reunidas. Em pouco tempo, este pequeno espaço tornou-se uma referência e um ponto de encontro de várias gerações de taipenses e não só.

Tivemos também vários outros episódios e capítulos na nossa vila em 2023. Relembro a consolidação do S. Pedro não Dorme, que ano após ano tem vindo a ganhar cada vez mais público. Falo também da consolidação do Rock in Barco que veio dar mais um palco digno aos projetos e bandas emergentes da região. Tivemos também muitos outros apontamentos positivos como os concertos de Verão no Alameda, ou a passagem de ano na praça.

E agora? Resta saber o que nos espera este novo ano. Será que esta super dinâmica será para manter? Será que vamos conseguir superar? Espero que sim. Depende apenas de nós, sim, de cada um de nós apoiar da forma que podemos e sabemos, todo este movimento. Os frutos já começaram a surgir. Cada vez mais, vejo bandas e artistas taipenses. Cada vez vejo mais miúdos de guitarras às costas. Cada vez mais, vejo público interessado. Aos senhores que mandam, deixo ficar esta dica e espero, verdadeiramente, que aproveitem esta onda cultural a agarrem e a promovam com toda a força possível. Também depende de vocês e, claramente, este 2024 é a oportunidade de ouro de fazer florescer todos estes novos projetos. Aproveitem, por favor, esta dica que, como sempre, é de boa vontade e de borla!!!

Como primeira sugestão deste ano de 2024, deixo-vos ficar o fenómeno “Lucky Love” e o seu tema que conquistou já meio mundo e viralizou em várias plataformas online “Masculinity”. De nacionalidade francesa Luc Bruyère (o verdadeiro nome de “Lucky Love”), é já considerado por muitos, a reincarnação moderna de Freddie Mercury, quer na genialidade, quer no seu aspecto visual. Nascido sem um braço recusou desde sempre qualquer tipo de prótese, e as suas músicas retratam a diferença, a diferença em relação ao mundo que o rodeia e que ele sempre sentiu, de uma forma tão bruta e crua, mas ao mesmo tempo, infinitamente sensível e bela. A profundidade das suas letras misturada ao brilhantismo das suas composições e da sua voz, associadas à sua imagem e aos seus vídeos tornaram-no numa estrela em ascensão meteórica, acima de tudo, por mostrar de uma forma quase violenta que a normalidade é apenas uma forma de ver o mundo, e que apesar da diferença, todos podemos conseguir alcançar os nossos sonhos. Vão ouvir porque garanto que não vão ficar indiferentes.