13 julho 2024 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

EURO 2024

Lionel Ferreira
Opinião \ sexta-feira, julho 05, 2024
© Direitos reservados
No dia 14 de Julho espero que Portugal pare frente a televisão e que possamos cantar de mão ao peito “Heróis do mar ... contra os canhões, marchar, marchar”.

Chegou finalmente a tão aclamada competição, o EURO 2024. A competição da UEFA teve início em Munique ano dia 14 de junho e terminará com a final do evento no dia 14 de Julho em Berlim. Os fás da modalidade têm um mês inteiro para desfrutar das melhores seleções europeias representadas por alguns dos melhores jogadores do mundo.

A seleção anfitriã, a Alemanha, esteve no seu melhor no jogo de abertura da competição ao golear por 5-1 a seleção da Escócia, vincando a sua presença como um potencial vencedor do troféu. Outras seleções são apontadas com possíveis candidatas a ganhar a prova, são elas a França, a Inglaterra, a Itália, a Espanha e Portugal. Não nos podemos esquecer que nas grandes competições podem surgir algumas surpresas, à semelhança do que aconteceu no campeonato do mundo 2022 no Qatar em que a seleção de Marrocos encantou milhares de pessoas com a sua forma destemida de jogar. Pelo desempenho que têm demonstrado na fase de grupos, não será descabido que Áustria a Suíça vinham a ser as equipas sensação da prova, logo veremos.

A seleção portuguesa agora orientada pelo espanhol Robert Martinez chega ao Euro 2024 com uma campanha de apuramento imaculada, vencendo todos os jogos do seu grupo, com apenas 2 golos sofridos e 36 golos marcados. Parece que a seleção está com outra dinâmica e cortou, com o velho hábito, do uso da calculadora.

Cristiano Ronaldo, o menino que chegou com 18 anos para vestir a camisola das quinas tem agora 39 anos. Apesar da idade, CR7 continua a mover multidões e ainda obriga aos organizadores da prova a terem uma atenção redobrada para que não se verifiquem invasões de campo, como aconteceu com um menino que sonhava tirar uma fotografia com o capitão.

Acabada a fase de grupos e sem grandes surpresas, os candidatos ao título mantêm-se em prova. Portugal terá pela frente ainda uma longa caminhada e estará obrigada a fazer alguns ajustes, pois a derrota contra a Geórgia revelou algumas fragilidades.

O selecionador nacional tem optado por montar a equipa com uma estrutura de jogo “híbrida”. Em certos momentos do jogo os defesas laterais são defesas centrais, noutros momentos os defesas laterais são médios centro e noutros ainda são extremos. Na verdade, tenho alguma dificuldade em perceber as suas verdadeiras ideias, mas espero que seja eu a única pessoa equivocada. Julgo que as coisas simples funcionam sempre bem, mas vou dar o benefício da dúvida.

Caminhamos para o próximo jogo com a convicção vamos que derrotar mais um adversário, desta vez vamos encontrar a Eslovénia pelo caminho. Ao que tudo indica, se conseguirmos cumprir os nossos objetivos, encontraremos na próxima fase o vencedor do jogo entre França e a Belgica.

No dia 14 de Julho espero que Portugal pare frente a televisão e que possamos cantar de mão ao peito “Heróis do mar ... contra os canhões, marchar, marchar”.

Força Portugal!!!