28 maio 2022 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

E quando a exceção se tornou a rotina…

Catarina Gomes
Opinião \ quinta-feira, abril 28, 2022
© Direitos reservados
Se analisarmos bem o que comemos ainda esta semana, certamente que iremos encontrar no cardápio alimentos nada benéficos para a nossa saúde! Longe vai o tempo em que bolos eram só para aniversários.

Com o alívio das restrições criadas pela pandemia, voltamos às mesas dos cafés, dos restaurantes, aos convívios com a família aos fins de semana. Porém, quando me sento numa dessas mesas não consigo deixar de apreciar a azáfama, o vai e vem de pessoas, os pedidos que se fazem ecoar pela sala até chegar à cozinha. Contudo, noto cada vez mais um padrão que me deixa profundamente preocupada: as escolhas alimentares de quem se senta ao meu lado. Desde o neto ao avô, toda a família partilha de alimentos que não são de todo recomendados para consumir com regularidade. Vejo bolos, vejo sumos, leite com chocolate, vejo rissóis, vejo muita coisa que não devia ser um hábito para nós pedirmos cada vez que vamos ao café.

Falar da alimentação é falar de um tema muito complexo. Na nossa sociedade é normal juntar as pessoas sobre o “falso” pretexto de “tomar um café”. Porém, nunca é só um café… Se analisarmos bem o que comemos ainda esta semana, certamente que iremos encontrar no cardápio alimentos nada benéficos para a nossa saúde! Longe vai o tempo em que bolos eram só para aniversários. O acesso é fácil. Senão basta olhar para os bancos dos recreios das escolas, onde as crianças ao invés de almoçarem na cantina, optam por ir buscar um bolo e um refrigerante à pastelaria mais próxima.

Infelizmente, estes nossos hábitos não vêm sem um custo associado, um custo bem pesado na nossa saúde! Segundo o Inquérito Alimentar Nacional e de Atividade Física (IAN-AF), 2016, a pré-obesidade atinge 34,8% da população portuguesa e a obesidade está presente em 22,3% dos portugueses.

Bem sabemos que um problema nunca vem só, e com o excesso de peso e a obesidade vêm muitos outros, nomeadamente, a hipertensão, a diabetes e, no fim da linha, o Enfarte Agudo do Miocárdio e outras patologias com desfechos pouco favoráveis.

Por isso, caro leitor, se está neste momento a disfrutar da sua meia de leite com dois pacotes de açúcar ou do seu croissant, peço-lhe desculpa se estraguei o seu apetite, mas encare esta leitura como uma oportunidade de ponderação das suas escolhas.