29 novembro 2021 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

Acesso à auto-estrada em Brito: uma necessidade amordaçada

Manuel Ribeiro
Opinião \ sábado, junho 17, 2017
© Direitos reservados
Toda a gente já viveu o inferno do nó de Silvares: tanto à saída como à chegada. Não é admissível um acesso à auto-estrada entupir. E este está entupido. Deve ser um dos casos únicos a nível nacional.

Eles são 30, 40, 50 mil habitantes da zona Norte do Concelho, espalhados pelas freguesias de Brito, os Sandes, Balazar, Longos, principalmente os habitantes que se encontram a Norte do Concelho não estão servidos por qualquer Auto-Estrada.

O traçado da Auto-Estrada Guimarães-Braga não serve estas populações por falta de acesso célere e próximo.

Por isso, há mais de 15 anos se falou no nó das Taipas que, infortunadamente, não foi construído.

Essa ideia ficou na memória dos Taipenses e não mais se apagou.

Agora que se projectam vias para melhorar os acessos aos parques industriais, esta ideia voltou à ordem do dia e são cada vez mais os Taipenses, e cada vez mais os habitantes da zona norte do Concelho, que a acolhem como uma necessidade estruturante de desenvolvimento da zona norte do concelho.

A vila de Caldas das Taipas está na charneira da reivindicação desta necessidade.

Toda a gente já viveu o inferno do nó de Silvares: tanto à saída como à chegada. Não é admissível um acesso à auto-estrada entupir. E este está entupido. Deve ser um dos casos únicos a nível nacional.

Apesar disso, as nossas mentes brilhantes do poder municipal socialista a quem os socialistas ditos taipenses seguem cegamente, teimam em não criar um acesso alternativo ao nó de Silvares.

Queiram V.ª Exc.ªs saber que são a quase totalidade dos habitantes da zona norte do concelho que não acedem à auto-estrada Guimarães-Braga: a dificuldade no acesso torna a sua existência quase indiferente. Por outro lado, existem centenas, milhares de habitantes da zona norte do Concelho que, pura e simplesmente, para acederem à Auto Estrada para o Porto ou Póvoa de Varzim, circulam na estrada nacional em Direção a Famalicão e acedem à auto-estrada no nó de Vermoim. Isto é, prescindem da entrada em Silvares e entram em Vermoim. Para estes, e são quase todos, o nó de Silvares não serve. Insistir em mantê-lo para servir a zona norte é erro; construir a via do Ave Park sem uma nova alternativa à auto-estrada é asneira.

De que é que tem medo o poder socialista municipal em promover, viabilizar um acesso à auto-estrada em Brito?

O PS anda há 30 anos a prejudicar as Taipas; e impunemente, quer continuar nessa senda.

Deverá dizer-se que a distância entre as Taipas e a zona de Brito onde passa a auto-estrada é de 2 a 2,5 KM; demasiado perto para não existir.

E ainda se não houvesse gente; empresas; procura, movimento, transito; tolerava-se; quando existem esses factores todos que, concentrados, implicam a existência de uma necessidade, não a satisfazer é não querer a coesão concelhia e prejudicar as Taipas.

A clarividência dessa necessidade surgiu ao Dr. André Coelho Lima que o anunciou: se for Presidente da Câmara Municipal de Guimarães vai fazer tudo para que exista um nó da auto-estrada que sirva as Taipas e a zona Norte do Concelho.

Se os Taipenses e as freguesias da zona norte do concelho quiseram um desenvolvimento directo e verdadeiro da sua terra deverão consentir que uma das soluções para as Taipas está encontrada, há muito, mas só agora encontrou reconhecimento num candidato à Câmara Municipal.

O Dr. André Coelho Lima não tem medo do crescimento e desenvolvimento das Taipas e por isso a sua corajosa e necessária atitude ao inserir esta proposta no seu programa eleitoral.