01 outubro 2022 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

Outra vez a via do AvePark - Não dedicada

Manuel Ribeiro
Opinião \ quarta-feira, maio 04, 2022
© Direitos reservados
A Via do Ave Parque começou por ser projectada como uma estrada dedicada de acesso ao Ave Parque, com inicio na rotunda de Fermentões que acede à Auto Estrada.

Alterações posteriores ao projecto fizeram com a mesma via se inicie em Ponte, entroncamento para o Parque Industrial onde existirá, dizem, uma rotunda.

As alterações mais recentes fazem com a Via do Ave Park deixe de ser uma via dedicada e passe a ser uma via que servirá outras freguesias e não só o Ave Park

É um projecto que já se mantém há 8 anos. E vai demorar mais 8 anos a ser construído e entrar em funcionamento.

Já em escritos anteriores, neste espaço, se disse que um projecto necessário para o Ave Park e para as populações não pode demorar bem mais de 10 anos a ser executado sob pena de se tornar inútil.

Fomos e somos contra a Via do Ave Park enquanto via que se constrói como alternativa à requalificação da Estrada Nacional 101. E foi sempre esse cariz que assumiu. Pois transformar uma estrada nacional numa Rua de uma qualquer freguesia, é condenar a mobilidade a conceitos que não são de mobilidade mas de estagnação.

A Via do Ave Park tem ainda outra consequência já amplamente denunciada neste espaço: o isolamento das Taipas. Com a construção da Via do Ave Park, a passagem pelas Taipas deixa de ser necessária, sendo uma via de fuga para a Auto Estrada e para outras metrópoles mais agregadoras.

Na última Assembleia de Freguesia, o Presidente da Junta, o deputado e líder da bancada do PS na Assembleia Municipal, Dr. Luiz Soares, afirmou que a Via do Ave Park não vai resolver o problema do transito na EN 101; não vai resolver o problema da mobilidade entre as Taipas e Guimarães, tudo ideias que negou no passado e que agora, mais próximo da realidade, admite.

Como diz o povo, mais vale tarde do que nunca. O que ressalta nesta mudança de posição é a perda de tempo, que quer dizer desenvolvimento, que as posições ancestrais do Partido Socialista poem em causa.

Não é demais concluir que o Partido Socialista anda a reboque das oportunidades eleitorais momentâneas, ora defendendo a Via do Ave Park para debelar o problema do transito na EN 101, Taipas/Guimarães, ou afirmando o seu contrário. Quando se toma uma posição e o seu contrário, vale tudo.  E em política não vale tudo.

[Nota] Artigo originalmente publicado na edição de maio do Jornal Reflexo.