09 dezembro 2022 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

Caldas das Taipas recebe oito mil euros do IMPACTA para o segundo semestre

Tiago Dias
Sociedade \ segunda-feira, agosto 22, 2022
© Direitos reservados
Financiamento engloba acolhimento ao emigrante e Vila Natal de 2022. Verba para o norte do concelho estende-se ao evento Citânia Viva, da Casa do Povo de Briteiros.

Caldas das Taipas conta com oito mil euros para duas das atividades a concretizar na segunda metade de 2022, ao abrigo do IMPACTA, o regulamento municipal que prevê o financiamento a quem promove “atividades de caráter cultural, recreativo, artístico, pedagógico, académico ou científico de interesse público” no concelho.

Segundo uma das propostas aprovadas na reunião do executivo municipal de 07 de julho, o “Acolhimento ao Emigrante e ao Turista”, a cargo da Junta de Freguesia de Caldelas, recolhe dois mil euros, a mesma verba de 2021, enquanto a “Caldas das Taipas – Vila Natal 2022”, organizada pela comissão de festas Dar Vida à Vila, em dezembro, capta seis mil euros. No ano transato, o evento que reúne mercado de Natal, animação de rua e música, entre outros números, recebeu 5.750 euros.

A vila termal reúne assim uma verba de 12 mil euros do IMPACTA para todo o ano, depois da atribuição de três mil euros para a “Animação de verão”, iniciativa em curso, e de mil euros para as comemorações do 25 de Abril de 1974, ambas sob a responsabilidade da Junta.

Quanto ao restante norte de Guimarães, há uma outra iniciativa com financiamento para o segundo semestre: trata-se da 17.ª edição do Citânia Viva, evento que mistura performance e convívio, apoiado com seis mil euros. Na edição anterior, a iniciativa organizada pela Casa do Povo de Briteiros concentrou-se na figura do arqueólogo Francisco Martins Sarmento.

Os 14 mil euros do segundo semestre juntam-se aos 17.100 euros que o norte do concelho reuniu até junho de 2022. Além da verba atribuída à Junta de Caldelas, o IMPACTA financiou uma outra atividade da Casa do Povo de Briteiros – o “Passeio dos Moinhos”, com 4.500 euros -, a circulação de quatro projetos culturais – os grupos de teatro do Centro Social Recreativo e Cultural de Campelos e da Citânia – Associação Juvenil (1.500 euros cada), o Grupo Folclórico do Centro Social de Vila Nova de Sande (1000 euros) e a Associação Cultural e Recreativa do Grupo Folclórico de Santa Cristina de Longos (600 euros) -, e dois planos anuais de atividades.

O plano do Grupo Cultural e Recreativo de Barco mereceu dois mil euros, tal como o ciclo O Ave com Cultura, vocacionado para a música, com a chancela da União de Freguesias de Souto São Salvador, Souto Santa Maria e Gondomar.

325 mil euros em todo o ano para todo o território

Em 2022, o IMPACTA atribui 325.483 euros a iniciativas culturais e associativas no concelho de Guimarães: três quartos desse valor respeitam ao primeiro semestre, ficando o segundo com 25% (81.734 euros).

Praticamente metade da soma destina-se a atividades pontuais, rubrica em que se encaixam os apoios ao norte do concelho para o segundo semestre. Esse eixo arrecada 160.100 euros – 103.100 até junho e 57 mil de junho até dezembro. 

A criação artística é a segunda vertente com mais peso no IMPACTA:recolhe 102 mil euros entre apoios à performance e composição musical (41.500 euros), artes visuais e curadoria (32 mil euros) e artes performativas (28.500 euros).

Também o apoio às edições literárias, musicais e videográficas é outra das dimensões com peso no IMPACTA de 2022: 21.483 euros foram canalizados para nove projetos, sendo um deles o “Documentários sobre o rio Ave”, de Gonçalo Cruz, arqueólogo da Sociedade Martins Sarmento (990 euros).