02 dezembro 2021 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

Abate de dezenas árvores no coração da vila gera discórdia

Redação
Sociedade \ quinta-feira, março 25, 2021
© Direitos reservados
O abate de dezenas de árvores no coração das Taipas, nomeadamente na Avenida da República e no Largo Frei Cristóvão dos Reis, tem gerado polémica nos últimos dias.

O Reflexo deu conta que pelo menos uma dezena de árvores foi abatida junto aos Banhos Velhos, em virtude das obras de requalificação do centro cívico de Caldas das Taipas. Tal abate contraria uma avaliação fitossanitária realizada pelo Departamento de Ciências Florestais da UTAD (Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro) em 2016.

Este abate de árvores provocou várias reações políticas, questionando a autarquia. O Bloco de Esquerda “solicitou à Câmara Municipal de Guimarães a divulgação dos relatórios fitossanitários que justifiquem o abate de dezenas de árvores aparentemente saudáveis no centro da freguesia”. Por sua vez a CDU “exige da Câmara, dona das obras em curso na zona do abate, a explicação indispensável”.

Domingos Bragança esteve esta quarta-feira nas Taipas, visitou as obras em curso e, entretanto, a Câmara Municipal de Guimarães emitiu uma nota de esclarecimento em que vinca que “no projeto final, a obra de remodelação prevê o triplo de árvores comparativamente com as atualmente existentes”.

Entretanto a Junta de Freguesia de Caldelas divulgou um esclarecimento em que responsabiliza o executivo liderado por Constantino Veiga pelo abate das árvores, recordando que “em 2017, quando o atual executivo tomou posse, o projeto estava completamente fechado e já previa tudo o que está agora a acontecer".

Ouvido pelo Reflexo Constantino Veiga acusa a junta de “atirar areia” para os olhos dos taipenses. “Derrubar árvores seculares na nossa vila é uma vergonha”, afirma.