02 dezembro 2021 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

Coligação Juntos por Guimarães “surpreendida pelo corte indiscriminado de árvores”

Redação
Sociedade \ sexta-feira, março 26, 2021
© Direitos reservados
Depois de várias forças políticas o terem feito, esta sexta-feira foi a vez da Coligação Juntos por Guimarães de Caldelas pronunciar-se sobre o corte de árvores no centro da vila.

A Coligação Juntos por Guimarães de Caldelas emitiu um comunicado no qual diz ter sido surpreendida pelo abate “indiscriminado” de árvores. Visada na nota de esclarecimento da Junta de Freguesia, a Coligação faz uma longa exposição sobre a sua visão do assunto.

“No decorrer da elaboração do projeto de requalificação do Centro da Vila a preocupação de Constantino Veiga, à data Presidente da Junta de Caldelas, nos muitos atrevimentos que teve junto da arquiteta responsável, foi preservar as árvores como elemento caracterizador e identitário da Vila. Foi-lhe garantido que só as árvores que se encontravam em mau estado de conservação iriam ser abatidas para serem substituídas por outras”, apontam, recordando que o estudo da UTAD foi desenvolvido com dinheiros públicos.

Relembrando que o projeto esteve em consulta numa casa de chá, a Coligação assegura que “a Junta de Freguesia de Caldelas demoveu a projetista de demolir o Coreto da Música”.

A finalizar o comunicado a Coligação diz ser “evidente que a Junta de Freguesia não gosta de árvores: cortou as que existiam no antigo mercado; faz vista grossa ao corte de raízes das árvores na Alameda do Parque de Lazer para ajustar o betuminoso nos passeios; e concorda, como resulta do seu fastidioso comunicado, com o corte das árvores nas Taipas”.