01 outubro 2022 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

Por um intestino saudável: como melhorar e prevenir a obstipação

Daniela Marques
Opinião \ quinta-feira, agosto 18, 2022
© Direitos reservados
A obstipação é um sintoma comum e uma causa frequente de consulta nos cuidados de saúde. Não escolhe idade ou género e pode, habitualmente, ser melhorada com medidas simples no dia-a-dia.

O que é a obstipação?

A obstipação (“prisão de ventre”), refere-se à alteração do padrão intestinal habitual de um indivíduo. Pode ter diferentes significados:

  • Fezes demasiado duras ou pequenas, difíceis de expulsar e que implicam um esforço defecatório excessivo;

  • Frequência de dejeções inferior ao habitual (menos de 3 vezes por semana).

A obstipação pode levar a mal-estar, desconforto abdominal e/ou dor com a defecação. Trata-se de um problema muito comum, tornando-se ainda mais frequente com o avançar da idade.

Porque tenho obstipação?

Existem muitos fatores que podem contribuir para a obstipação, embora esta ocorra mais frequentemente no contexto de erros alimentares, sedentarismo e comportamentos retentivos (ignorar a vontade de defecar). Existem ainda algumas doenças (ex.: diabetes, hipotiroidismo) e certas medicações que podem também contribuir para a obstipação.

 Quais os sinais de alarme a ter em conta?

Apesar de uma grande maioria dos casos poderem ser resolvidos com medidas diárias gerais, existem certos sinais e sintomas que o devem fazer consultar o seu médico: perda de sangue ou muco nas fezes; perda de peso involuntária ou febre; alteração recente e persistente (mais de 3 semanas) do padrão habitual defecatório; história familiar de cancro do intestino ou de doenças inflamatórias intestinais; sintomas severos.

 Como melhorar a obstipação?

Aumentar o consumo de fibra: a quantidade diária recomendada é de 20 a 35 gramas. Poderá ler o rótulo dos alimentos de modo a determinar a quantidade de fibra que cada porção possui. Existem muitos alimentos particularmente úteis neste contexto: citrinos, ameixas, feijões, lentilhas. O psílio tem um efeito laxante bem reconhecido. É importante ter em consideração que quantidades elevadas de fibra podem causar distensão abdominal e flatulência. Assim, deve começar por introduzir pequenas quantidades e ir aumentando progressiva e lentamente conforme tolerância e eficácia.

Aumentar a quantidade diária de líquidos, respetivamente água, na dieta. Beber uma bebida com cafeína de manhã poderá ser também útil.

Praticar atividade física regularmente: pelo menos 150 minutos por semana de exercício aeróbico de intensidade moderada, como por exemplo, caminhada rápida.

Criar rotinas para a defecação: os movimentos intestinais estão mais ativos após as refeições (particularmente no período da manhã), pelo que esta poderá corresponder à melhor altura para ir à casa de banho. Não ignorar e adiar a vontade de defecar.

Sentar na sanita de forma adequada: a posição mais fisiológica é a de cócoras, podendo para isso, colocar os pés em cima de um banco quando se senta na sanita.

Quando as medidas anteriores falham, poderá ser necessário recorrer temporariamente a um laxante. Este género de produtos deve, no entanto, ser sempre prescrito pelo seu médico e utilizados com moderação (o uso prolongado poderá levar a habituação).

 



Bibliografia:

metis - Obstipação (prisão de ventre), Autor: Rita Aguiar, Gustavo Santos, Última atualização: 2017/03/20.



Uptodate: Patient education: Constipation in adults (Beyond the Basics), Author: Arnold Wald, MD. Acesso em 10/08/2022.