02 dezembro 2021 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

Reunião de Instalação dos órgãos autárquicos de Caldelas a 20 de Novembro

Redação
Política \ quarta-feira, novembro 13, 2013
© Direitos reservados
A continuação da reunião iniciada a 18 de Outubro está agendada para 20 de Novembro. Até lá, ao que tudo indica, será encontrada uma solução de viabilização do novo Executivo e MA de Freguesia.

No final da tarde de ontem realizou-se novo encontro, o segundo, entre André Coelho Lima, representante da Coligação Juntos por Guimarães, vencedora das últimas eleições autárquicas em Caldelas e responsáveis locais da CDU. Sem ainda reconhecerem a finalização das conversações, quer André Coelho Lima, quer Cândido Capela Dias, admitem que as conversações estão a caminhar no bom sentido deixando implícito que poderá estar para muito breve um entendimento para viabilização do Executivo e Mesa da Assembleia de Freguesia de Caldelas.

Sobre o que poderá estar em discussão e as circunstâncias em que o novo executivo possa vir a ser viabilizado, Coelho Lima, não quis revelar grandes pormenores reforçando a ideia de que as coisas estarão bem encaminhadas e que há perspectiva por parte das duas forças partidárias de conseguir chegar a um consenso, em prol da população de Caldelas. Capela Dias, sobre o assunto, deu conta de que a CDU sempre recusou discutir lugares ou posições, pertencer ou não pertencer, fazer ou não fazer parte deste órgão, ou daquele. A parte que mais nos interesse é a programática. Aquilo em que há interesse em encontrar pontos comuns, em benefício das Taipas. E é isso que temos vindo a discutir. Para nós não é fundamental, fazer ou não fazer parte da Junta.

Quanto à postura da CDU na Assembleia de Freguesia, não havendo desvios na execução do que se possa vir a acordar entre as partes envolvidas, nomeadamente no que respeita a Plano de Actividades e Orçamento para a freguesia, a CDU parece estar disposta a garantir a sua aprovação. Sobre esta questão, Capela Dias revelou ainda uma nuance de que não abdica nesta ronda negocial: Este não será um compromisso para o mandato. Avaliaremos a situação e renovaremos, ou não, o nosso compromisso, anualmente.

Sobre a posição que o Partido Socialista assumiu nestas negociações, Capela Dias não quis tecer qualquer comentário. Referindo-se, contudo, a uma ingerência por parte da concelhia do partido que talvez não tenha sido bem formulada (não terá caído bem no PS das Taipas) e que, em vez de ajudar, creio que complicou. Continuamos a acreditar que a melhor solução seria aquele em que estivéssemos todos. Infelizmente agora, o PS Taipas marca presença, pela sua ausência. Desistiu de trabalhar em conjunto, na procura de uma solução para as Taipas. André Coelho Lima refere sobre o assunto que a solicitação que seguiu para Capela Dias, no sentido de encetar conversações, também seguiu para Paulo Pereira do PS. Esta questão é uma questão da freguesia de Caldelas. Tem que ser aqui solucionada. Ela teve um primeiro momento de diálogo entre as forças políticas locais, que não resultou. A partir daí, eu entro na assunção da responsabilidade de conduzir e contribuir para o diálogo, quando ele não conseguiu ser resolvido em primeira instância. Entro nisto porque é a Coligação Juntos por Guimarães, que eu represento, que tem a responsabilidade de, onde venceu as eleições, tentar arranjar uma solução, diz Coelho Lima. Ainda sobre ausência do PS nas conversações, o líder concelhio da Coligação diz estar ainda à espera de uma resposta do PS Taipas que não só não compareceu à reunião solicitada, como também não respondeu à mesma sendo certo, porém, que mantemos disponibilidade para negociar com todos. Foi esse o processo que iniciamos.