09 dezembro 2022 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

São Pedro está de volta: três anos depois Zé Amaro subirá ao palco

Bruno José Ferreira
Cultura \ terça-feira, abril 05, 2022
© Direitos reservados
Depois de dois anos sem festividades, 2022 assinala o regresso dos grandes eventos à vila. As Festas da Vila e São Pedro voltam a realizar-se na plenitude, assim como a Corrida das Taipas.

Zé Amaro será um dos nomes do São Pedro 2022. O artista taipense era um dos rostos do programa há três anos, mas por motivos de saúde acabou por não subir ao palco, algo que se repetiu nos dois anos seguintes devido à pandemia. O cartaz chegou a ser anunciado em 2020, e Zé Amaro era um dos artistas que faziam parte do programa das festas, sendo que passados três anos finalmente subirá ao palco nas festas da vila termal, no encerramento, no dia 4 de julho.

Um regresso que se faz a meias com o retorno dos grandes eventos à vila, depois da interrupção de dois anos provocada pela pandemia. “Os concertos já estão definidos, assim como a maioria da programação, que vai ser divulgada em tempo oportuno. Estamos a trabalhar algumas burocracias normais, para depois podermos anunciar o cartaz, que será semelhante ao que já se fazia antes da pandemia”, refere Luís Gonçalves, presidente da comissão de festas Dar Vida à Vila, entidade responsável pela organização das Festas da Vila e São Pedro. Duas das habituais iniciativas integradas no programa das festas, a Feira das Associações e a Feira da Francesinha, voltarão a realizar-se tendo, ao que tudo indica, como palco principal o Pavilhão Polidesportivo no Parque de Lazer das Taipas, segundo apurou o Reflexo.

Com o centro da vila em obras, devido à requalificação do centro cívico das Taipas, a festa vai sofrer algumas alterações, mas algo pontual que não implica mudanças estruturais. “As obras não vão afetar, porque a zona dos divertimentos e do palco não se enquadram na zona das obras. O que poderá afetar um pouco é a procissão, mas isso vamos ver da melhor maneira juntamente com a paróquia. Vamos alocar noutras zonas da vila os vendedores tradicionais, esses sim, porque parte deles costuma ficar na Avenida da República”, explica Luís Gonçalves. No entender de Luís Gonçalves o regresso das festividades é algo que se saúda e algo que as pessoas necessitam. “A festa em está toda planeada, pensamos que as pessoas precisam de um miminho depois destes dois anos, as festas fazem mesmo falta”, atira. As Festas da Vila e São Pedro são as maiores da zona norte do concelho, sendo apenas suplantadas pelas Festas da Cidade e Gualterianas.

Corrida das Taipas no dia 5 de junho

Outro grande evento que está de regresso é a Corrida Caldas das Taipas, organizada pelo Núcleo de Atletismo das Taipas e que é já uma referência na vila e também no concelho. A prova de atletismo realizou-se consecutivamente durante catorze anos, a 15.ª edição esteve anunciada por duas vezes, mas acabou por ter de se adiar, sendo que este ano centenas de atletas voltarão a encher as ruas da vila. “Com grande esforço vamos retomar”, garante ao Reflexo Pedro Regueiras, presidente do NAT, fazendo votos para que se possa “voltar à normalidade”. Ainda assim este voltar à normalidade ainda é olhado com desconfiança, na medida em que não se sabe o que esperar a nível de participação. “Há dois anos tivemos quase quinhentas pessoas, mas este ano é uma incógnita, ainda não sabemos como é que vai ser a adesão das pessoas. Pelo que vimos na caminhada solidária as expetativas são boas. Tivemos mais de trezentas pessoas, o que é muita gente, por isso a expetativa é alta”, vinca o líder máximo do NAT.

Em termos de organização os responsáveis pela preparação da Corrida Caldas das Taipas irão apostar no mesmo formato das edições anteriores, com um percurso e logística semelhantes. Uma das questões que se coloca é a intervenção que esta a ser feita no centro cívico, uma vez que as obras condicionam a organização. O NAT tem mantido reuniões com a junta no sentido de atenuar os efeitos das obras. “O percurso é basicamente o mesmo dos outros anos. Já reunimos com a junta por causa de vários pormenores, como é o caso das obras, mas basicamente será o mesmo percurso dos outros anos”, aponta Pedro Regueiras.

Concentração Motard volta a não se realizar

Se há eventos que este ano retomam a normalidade, a realidade é que há outros que continuarão a não ter lugar este ano, como é o caso da Concentração Motard das Taipas, normalmente organizada pelo Moto Clube das Taipas. A associação taipense já organizou dez concentrações, a 11.ª estava alinhavada para se realizar em 2020, mas devido à pandemia acabou por não se realizar. O cenário repetiu-se no ano passado, em 2021, com novos confinamentos a obrigarem a que a concentração não se realizasse na vila termal.

Com o regresso da normalidade seria de esperar que regressasse também a realização da concentração motard, mas “o clima de incerteza” leva a que os responsáveis pela organização decidissem não avançar com a realização desta iniciativa, segundo dá conta Frederico Almeida ao Reflexo. 

“Não vamos arriscar, o clima de incerteza é ainda muito grande por parte das pessoas em participar em eventos de massas. Depoisn há a questão financeira, não é a mesma coisa arranjar apoios e patrocínios como era até agora”, refere um dos impulsionadores da Concentração Motard das Taipas, que já teve como palco o Parque de Lazer das Taipas e o recinto da feira semanal, perspetivando-se agora a sua realização no Parque de Lazer da Praia Seca.

O Moto Clube das Taipas viu ser-lhe atribuído um subsídio de 2 mil euros por parte de Câmara Municipal de Guimarães, precisa- mente para a realização deste evento, mas mesmo assim a concentração, orçada em sensivelmente 12 mil euros, não se vai realizar, até porque o clube passou por tempos conturbados. “Talvez em agosto, no aniversário, ou em setembro, o clube organize alguma coisa mais pequena, mas por agora não”, vinca Frederico Almeida