22 outubro 2021 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

Ligações ilegais de águas pluviais aos intercetores residuais, na origem da descarga na Ribeira da Agrela

Manuel António Silva
Freguesias \ sexta-feira, setembro 08, 2017
© Direitos reservados
A forte pluviosidade que se verificou no norte do país, entre os dias 28 e 29 de agosto, levou a que se verificasse um conjunto de descargas de águas residuais com elevada componente de águas pluviais.

A Águas do Norte é quem o refere em resposta a algumas questões colocadas pelo Reflexo, no seguimento da descarga de águas residuais ocorrida no passado dia 29 de agosto e que tem motivado troca de acusações entre a Junta de Freguesia de Caldelas e a Vimágua.

A entidade gestora do sistema multimunicipal de abastecimento de água e saneamento, em “alta”, confirma já ter esta situação identificada e que estão a planear uma ação de limpeza da área afetada.

Com 1.850 km de intercetores sob sua gestão, a Água do Norte dá conta de que as suas equipas realizam inspeções regulares às infraestruturas de transporte de águas residuais e que esta situação pontual se verificou pela existência de “ligações ilegais de águas pluviais” ao coletor que, assim, perdeu a sua capacidade de transporte.

“Confirma-se que este episódio resulta da ligação indevida de águas pluviais à rede de saneamento, situação infelizmente muito habitual e que conduz à descarga de águas residuais diluídas nos meios recetores, por falta de capacidade de transporte dos sistemas intercetores. A responsabilidade pela gestão das redes pluviais e pelas redes de saneamento municipais é dos municípios, ou das entidades subcontratadas por estes, pelo que caberá a essas entidades a fiscalização da admissão de águas pluviais aos sistemas geridos pela Águas do Norte. A Águas do Norte, conhecedora do efeito negativo destas afluências indevidas, tem alertado as entidades gestoras e fiscalizadoras, incluindo a Agência Portuguesa do Ambiente, para este facto”, disseram a este propósito.