02 dezembro 2021 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

Exposições e Jornadas na programação da Afonsina 2021

Carolina Pereira
Cultura \ quinta-feira, junho 17, 2021
© Direitos reservados
Afonsina 2021 será marcada com 2ª edição das Jornadas Históricas e uma Exposição Retrospetiva para marcar o programa da Afonsina 2021.

A pandemia continua a condicionar a afamada feira medieval de Guimarães. Ainda assim, há programação para a Afonsina 2021. O programa tem definidas as II Jornadas Históricas no dia 19 de junho no Paço dos Duques de Bragança e a Exposição Retrospetiva das edições 2011 a 2019 da Feira Afonsina, no Monte Latito, de 24 a 27 de junho.

As Jornadas Históricas, que contam com palestrantes e investigadores dos vários departamentos académicos das Universidades do Minho, Porto, Lisboa e Santiago de Compostela e com jornalistas e escritores, tencionam abordar aquilo que se tem vindo a investigar sobre a época medieval, particularmente quanto à temática “o Papel da Mulher na Idade Média”.

A vice-presidente da Câmara de Guimarães, Adelina Pinto, destaca que as Jornadas Históricas resultam da “necessidade de continuar a estudar, a refletir e a dar conhecer a história desta época. Tudo o que é feito nestas jornadas fica registado para memória futura e assim será apresentado um documento que reflete o que foi a primeira edição das Jornadas Históricas”, apontou.

Além disso, terá lugar a realização de uma Exposição Retrospetiva das edições 2011 a 2019 da Feira Afonsina que não só seduz a memória dos seus visitantes como revela alguma da sua história.

Antero Ferreira, diretor da Sociedade Martins Sarmento, explanou que “a reflexão que se faz nestas jornadas históricas merece uma reflexão do que pode ser a Feira Afonsina para o futuro”.

Para a concretização das Jornadas, além do Município de Guimarães, integram a Comissão Organizadora Isabel Fernandes, Diretora do Museu de Alberto Sampaio, Paço dos Duques de Bragança e Castelo de Guimarães, Paulo Vieira de Castro e Antero Ferreira, da Sociedade Martins Sarmento, Rui Vítor Costa, da Muralha e António Amaro das Neves, historiador.