08 fevereiro 2023 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

Dez anos depois, um “abanão”: “Celebrar o passado e projetar o futuro”

Bruno José Ferreira
Desporto \ sexta-feira, janeiro 20, 2023
© Direitos reservados
Há dez anos Guimarães era Cidade Europeia do Desporto, algo inédito em Portugal. Várias iniciativas assinalarão a efeméride, em que pensar o desporto em Guimarães em 2030 é o objetivo.

“Dez anos passam muito rápido”. Foi com esta frase que Nelson Felgueiras, vereador do desporto da Câmara Municipal de Guimarães, iniciou a conferência de imprensa de apresentação da celebração dos dez anos de Cidade Europeia do Desporto de Guimarães, “a primeira cidade portuguesa” com este título.

Tratou-se de um “momento absolutamente singular” que afirmou Guimarães como uma referência no desporto, vincou. Nesse sentido, uma década decorrida após esse ano de 2013, que trouxe centenas de ventos – alguns deles internacionais – à cidade berço, a efeméride será assinalada tendo em conta três pedras basilares.

O primeira é “celebrar e recordar a história e o legado que a Guimarães Cidade Europeia do Desporto 2013 nos deixa”. Através deste olhar para o passado pretende-se “dar resposta no presente” aos desafios que se colocam, num projeto em que se olha o futuro, sendo a grande ambição “pensar o desporto em Guimarães em 2030”.

Um podcast, estudos, jornadas, livro e sustentabilidade

Foi com base nestas premissas que esta quinta-feira, dia em que há dez anos se dava o pontapé de saída na CED 2013, foi apresentada a programação que, durante ao ano, assinalará este este momento.  

Essa programação conta, já no dia 10 de fevereiro, com a estreia de um podcast, intitulado ‘Memórias do Futuro’, em que se dará voz a personagens centrais da CED 2013. Em março será apresentado um estudo desenvolvido pelo Instituto Europeu de Estudos Superiores, uma “radiografia do desporto em Guimarães", que Nelson Felgueiras considera que será “um instrumento poderoso para ajudar a tomar decisões”.

Entre a programação destaca-se a apresentação do ‘Observatório do Desporto’ em Guimarães, assim como a iniciativa Liberdade para D’Escolar em abril. Em julho, através de um congresso internacional vai debater-se a “Sustentabilidade no Desporto”, sendo que no mês anterior celebrar-se-á “Guimarães Ativa”, em que de 12 a 18 de junho se vai proporcionar “Praças com Vida”, promovendo atividades físicas nas vilas e freguesias.

A fechar o ano, em novembro será atualizado o livro História do Desporto em Guimarães, com a introdução dos últimos dez anos. Em setembro será reforçada a aposta na Meia-maratona de Guimarães, o Teatro Jordão vai receber em outubro as Jornadas Vida Feliz e em dezembro será apresentada no Salão Nobre do Município a Estratégia Municipal de Promoção de Atividade Física, como compêndio das atividades desenvolvidas ao longo do ano.

“Saudade e orgulho”, diz Amadeu Portilha

Amadeu Portilha, atualmente presidente da Cooperativa Tempo Livre – em 2013 vereador do desporto e um dos principais rostos da Cidade Europeia do Desporto – fala em “saudade e orgulho” ao reportar-se a este evento, sustentando que “o entusiasmo continua” com a capacidade que há em Guimarães para reinventar os projetos referentes ao desporto.

A finalizar, Nelson Felgueiras espera que seja possível “ouvir e envolver a comunidade para desenvolver esta estratégia”, considerando o programa apresentado um “programa que honra o que foi a Cidade Europeia do Desporto em 2013, destacando o “olhar em frente” que é feito.

O vereador frisou mesmo que, atendendo aos dados de Portugal no que à atividade física diz respeito, na cauda da Europa, pretende-se “dar um abanão” nestes hábitos ao “evocar a memória e atuar no presente projetando o futuro”.