05 dezembro 2021 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

Turitermas: Domingos Bragança defende forma de atuar da Câmara de Guimarães

Pedro C. Esteves
Política \ segunda-feira, maio 03, 2021
© Direitos reservados
Assunto foi debatido na Assembleia Municipal. PSD diz que o autarca "tem responsabilidade política de agir". Domingos Bragança reiterou que assuntos devem passar primeiro pelos órgãos sociais.

O PSD entende que o presidente da Câmara Municipal de Guimarães (CMG) “tem responsabilidade política de agir” no conflito entre o Hélder Pereira e a régie-cooperativa Taipas Turitermas, que culminou na rescisão do contrato do ortopedista. Por seu turno, Domingos Bragança defendeu a forma de atuação da autarquia e acenou com os relatórios que chegam ao executivo vindos dos órgãos sociais da instituição. “Se a assembleia de cooperantes diz que está tudo bem, porque é que o presidente da CMG vai por isso em causa?”, questionou.

A situação atual da cooperativa taipense foi trazida novamente à tona, desta vez na Assembleia Municipal da passada sexta-feira. Pela voz da deputada Paula Damião, os sociais-democratas referiram que “a CMG é a maior cooperante da Taipas Turitermas e, nessa qualidade, porque lá mete muito dinheiro público, tem de prestar contas aos vimaranenses”.

A rescisão do contrato de Hélder Pereira é, na opinião da deputada, um “episódio triste, pouco saudável e democrático” que devia traduzir-se numa ação diferente por parte do município. Paula Damião fez eco “da sugestão” do candidato do PSD à CMG, Bruno Fernandes, de levar a cabo “uma auditoria independente” para apurar o alegado conflito de interesses existente. A social-democrata deixou ainda um aviso sobre a posição do partido num futuro pedido de injeção de verbas na régie-cooperativa: “Numa próxima vez que venha a esta assembleia o aumento ou injeção de capital, o voto será não. É preciso honrar o que se recebe e é preciso que haja uma justificação válida para o recebimento”.

Domingos Bragança, na resposta, sublinhou que não lhe foi “remetido nada” e que “as contas do mandato do vereador Ricardo Costa foram votadas por unanimidade e houve um louvor à sua presidência”. “Todos os outros assuntos da litigância da régie-cooperativa, que os levem à Assembleia Geral, ao Conselho Fiscal, daí que me sejam remetidos a mim e eu darei conhecimento à Assembleia Municipal”, assegurou.

O autarca defendeu o modo de atuação da CMG e frisou que se não há acordo “entre um fornecedor de serviços e a entidade cliente, esse acordo é resolvido em tribunal”. “Se alguém tiver suspeita de crime, faça favor de a apresentar ao Ministério Publico. Farei tudo com retidão para apurar a verdade”. Domingos Bragança referiu ainda que, “quanto sabe”, a disputa entre Hélder Pereira e Taipas Turitermas no campo jurídico prende-se com “uma situação de locação de espaço”.

O alegado conflito de interesses entre a régie-cooperativa e o ortopedista já tinha sido discutido na reunião de câmara de 26 de abril. Pouco tempo depois da empresa Hélder Duarte Pereira - Ortopedia e Investigação, Lda anunciar que tinha recebido comunicação da “decisão unilateral de rescindir, com efeitos imediatos" do contrato de prestação de serviços médicos. Por seu turno, a Taipas Turitermas informou que “a decisão foi tomada com base em argumentos devidamente fundamentados e tendo em conta os superiores interesses da instituição”.