27 maio 2024 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

Teatro amador no CCVF: “Somos uma pessoa e no palco temos de ser outra”

Tiago Dias
Cultura \ quinta-feira, novembro 09, 2023
© Direitos reservados
O Centro Cultural Vila Flor acolheu, em 21 de outubro, mais uma edição da Mostra de Amadores de Teatro, com o Grupo de Teatro Citânia, de Briteiros, e o Grupo de Teatro Amador de Campelos.

Habituado a receber produções de companhias profissionais, o Grande Auditório Francisca Abreu, no Centro Cultural Vila Flor (CCVF), equipou-se a rigor para o espetáculo que concluiu mais uma edição da Mostra de Amadores de Teatro (MAT), em 21 de outubro, com a chancela do Grupo de Teatro Citânia. “Ir como amadores ao Centro Cultural Vila Flor é sempre uma experiência boa. Temos uns camarins, uma equipa técnica por detrás, um palco gigante com tudo o que é preciso”, confessa Andreia Dias, presidente da associação sediada em Briteiros São Salvador e uma das atrizes de “Em silêncio, crispadas e sombrias”.

À semelhança de “Contos Isolados”, a proposta que a Citânia levou à MAT em 2022, a peça foi encenada por Bruno Laborinho, com base em cinco obras de Bernardo Santareno, dramaturgo e médico do século XX. Coube a Andreia Dias interpretar Custódia, de “A promessa”, numa obra em que tinha como “principal foco” as “mulheres destruídas pela violência e pelo abuso sexual”. “Isso leva-nos a pensar mais para interpretar uma personagem de sofrimento”, observa acerca da peça em que contracenou com quatro mulheres e um menino.

Culminar de três semanas de ensaios, intensas, em simultâneo com a organização de mais um Citânia Viva, a peça foi, para Andreia, mais uma oportunidade para perder a “vergonha de representar”. Entrou para o grupo de teatro em 2015, quando precisavam de figurantes, e aquele continua a ser o único lugar onde tem formação, mas sente-se a crescer a cada peça. “Isto serve para não ficarmos tão presos no nosso cantinho e sairmos de nós. Somos uma pessoa e no palco temos de ser outra. E temos conhecido muita gente através do teatro. Isso é bom”, realça.

Antes da Citânia, o Grupo de Teatro Amador de Campelos apresentou “O Conquistador” no Pequeno Auditório, consumando o regresso à MAT dois anos depois de representar “Vida dupla”. A ARCAP, de Ponte, também se preparava regressar ao evento, dois anos depois de representar “A promessa”, mas o espetáculo “Sexta-feira 13”, agendado para 22 de outubro, não se realizou.

Artigos relacionados