29 novembro 2021 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

Taipas ganha 10% de população numa década

Carolina Pereira
Freguesias \ quarta-feira, julho 28, 2021
© Direitos reservados
Censos 2021 revelam que Caldelas foi a freguesia que mais cresceu a nível de população, em comparação com as restantes freguesias do norte do concelho. Nesta zona, passam a residir 34 687 pessoas.

O número de residentes no norte do concelho caiu 0,5% nos últimos dez anos, de acordo com os primeiros resultados dos recenseamentos gerais da população e habitação (Censos 2021), divulgados esta quarta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). 

Segundo estes dados, a zona norte de Guimarães totaliza 34 687 residentes e praticamente todas as freguesias perderam população entre 2011 e 2021. Sande São Martinho foi a localidade que mais viu cair o número de habitantes (-11,6%), seguido de Briteiros São Salvador e Santa Leocádia (-6,3%), Barco (-4,8%), Sande Vila Nova e Sande São Clemente, (-3,7%), Brito (-3,4%), Longos (-3,4%) e Santo Estêvão e Donim (-3,2%).

Pelo contrário, Caldelas foi a freguesia que mais habitantes ganhou com um aumento de 10,2%. Prazins Santa Eufémia (3,8%), Sande São Lourenço e Balazar (3,0%) e Ponte (1,1%) são também freguesias em crescimento de população.

Apesar da diminuição do total de população, o número de agregados familiares registou um aumento de 6,6% na última década, assim como o número de edifícios que eleva para 4,2%.

Em todo o concelho de Guimarães, a tendência de quebra já era esperada segundo as estimativas populacionais de anos anteriores e confirmou-se, pelo menos de acordo com os resultados preliminares dos Censos 2021. Estima-se que o mais populoso concelho do Vale do Ave tenha 156.852 habitantes, menos 0,8% face a 2011 (158.088).