15 abril 2024 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

Se for deputado, Araújo continua vereador. E reuniões passam para segunda

Tiago Dias
Política \ sexta-feira, março 01, 2024
© Direitos reservados
O número dois da AD pelo círculo de Braga vinca intenção de continuar na vereação e pede melhor acesso à informação nessa tarefa. Em caso de eleição, dia das reuniões de Câmara muda.

Eleito como um dos quatro vereadores da coligação Juntos por Guimarães (JpG) nas Autárquicas de 2021, Ricardo Araújo vai continuar a desempenhar tais funções se for eleito deputado para a Assembleia da República. Enquanto número dois da lista da Aliança Democrática (AD) pelo círculo de Braga, esse é um cenário mais do que provável. “Seguramente, vou continuar em funções”, disse, após a reunião de Câmara desta quinta-feira.

O também presidente da concelhia de Guimarães do PSD assumiu essa intenção depois de ter pedido uma melhoria ao estatuto da oposição no executivo municipal. “Globalmente, o estatuto é respeitado e cumprido com serviços mínimos obrigatórios, mas pode ser melhorado”, referiu.

No entender de Ricardo Araújo, pede-se mais facilidade no “acesso à informação do perímetro municipal”, nomeadamente a das empresas e cooperativas municipais. “As régie-cooperativas têm de oferecer toda a informação exigida pela lei aos vereadores. Tem de haver maior transparência, até pela responsabilidade que a Câmara Municipal tem nas mesmas”, completou.

Embora sem pelouros, o vereador da JpG considerou ainda que “é necessário criar condições para a oposição exercer as suas responsabilidades de uma forma melhor”, tendo sugerido a disponibilização de assessoria. “Porque é que a oposição não pode ter suporte a essa ação política de análise e deliberação?”, questionou.

O presidente da Câmara concordou com o pedido de maior transparência e adiantou que vai mudar o dia da reunião do executivo municipal de quinta-feira para segunda-feira, à semelhança do período em que André Coelho Lima, também do PSD, acumulou as funções de deputado e de vereador.

“Eu farei essa alteração para que a reunião se realize à segunda-feira, para que não haja outra deslocação para Lisboa após a reunião. Por outro lado, permite mais tempo. Se os dias para apreciarem a agenda incluírem o sábado e o domingo, são sempre dias em que há maior disponibilidade para ver os documentos submetidos à Câmara”, referiu Domingos Bragança, esclarecendo que essa alteração será votada na próxima reunião do executivo, presumivelmente a última a uma quinta-feira.