08 dezembro 2021 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

Ponte, “uma vila que sabe para onde caminha”, inaugura nova sede da junta

Pedro C. Esteves
Sociedade \ terça-feira, junho 22, 2021
© Direitos reservados
Na cerimónia solene dos 26 anos de elevação a vila, não faltaram elogios a Domingos Bragança, que recebeu a "chave" de Ponte. Edifício-sede da junta traz “orgulho acrescido”, diz Sérgio Castro Rocha

Outrora a servir uma escola, o logradouro do recém-requalificado edifício-sede da junta de freguesia de Ponte foi palco de uma cerimónia solene para comemorar o 26.º aniversário de elevação a vila desta freguesia vimaranense. Na plateia, dezenas de pontenses assistiram à atribuição de condecorações, entre elas a entrega da “chave” da vila ao presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Domingos Bragança.

“Estivemos a inaugurar a requalificação de um edifício que, para muitos, foi a escola onde arrependeram as primeiras letras, os primeiros números. Hoje é um edifício comunitário, da comunidade, é um edifício que está bem requalificado, bonito, com presença, com um logradouro que acrescenta ao edificado, e com envolvência ambiental”, indicou Domingos Bragança minutos após ter sido agraciado com a chave de Ponte – título atribuído pela primeira vez na história da vila.

Recebido agora por alguém que, segundo o presidente da Junta de Freguesia daquela povoação, “contribuiu para o crescimento” da vila e para a “melhoria de vida dos pontenses”. Durante a cerimónia que decorreu na noite da passada segunda-feira, inserida nas comemorações do 24 de junho, os elogios a Domingos Bragança foram uma constante, com todos os membros do executivo a desdobrarem-se em palavras de enaltecimento ao autarca socialista. Sérgio Castro Rocha disse mesmo que, com o presidente da CMG, “só não faz obra quem não quer fazer obra”. “Querendo”, e "sendo exequível”, a obra nasce.

E no discurso de Sérgio Castro Rocha ficou também patente o compromisso de levar a cabo projetos "por fazer". Em jeito de antecipação das autárquicas que se avizinham, o presidente da Junta de Freguesia de Ponte diz almejar um mandato de "consagração" para as gentes da freguesia a norte do concelho. “Isso motiva-me a mim e à minha equipa”, referiu. Por entre palavras de apreço a Domingos Bragança, o candidato que concorreu como socialista em 2017, teceu elogios à requalificação inaugurada na noite de segunda-feira. O edifício-sede traz “um orgulho acrescido”. “É a melhor sede de uma junta do concelho, não há sede que se possa igualar, até no país”, apontou, acrescentando que as valências dotadas com a requalificação fazem com que a sede da freguesia ombreie com as de algumas câmaras municipais.

Cinco medalhas, uma chave

A Assembleia de Freguesia de Ponte agraciou com medalhas os Ex-combatentes da Guerra do Ultramar (Honra); o técnico que levou o Arouca à promoção ao primeiro escalão, Armando Evangelista (Mérito); Filipe Freitas (Mérito); e, por "serviços distintos", o Grupo Folclórico da Vila de Ponte.

Pelo carácter inaudito, a atribuição da “chave” da vila de Ponte a Domingos Bragança foi central na maior parte dos discursos – pontuados por atuações dos TetrAcord'Ensemble. O presidente da Assembleia de Freguesia, Joel Rocha, explicou que, tal como a chave de casa, “só a entregamos a alguém muito importante”. “É uma mensagem da população de que é sempre bem-vindo”, sintetizou.

Aquando do agraciamento, Domingos Bragança frisou que, com este gesto dos pontenses, “acresce ainda mais a responsabilidade, a atenção”. “Acresce mais disponibilidade, se ela for possível, para poder corresponder a esta honra, este merecimento”.

No périplo concelhio que iniciou no dia 19 de junho, no âmbito do programa comemorativo do 24 de junho, o presidente da CMG orgulhouse de falar numa “vila moderna e contemporânea”. “Que olha para o seu passado e conhece-o; constrói o presente; e tem uma visão de futuro, sabe para onde caminha”.