21 fevereiro 2024 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

Localização dos ecopontos deixa descontentes moradores da Rua Santo António

Bruno José Ferreira
Sociedade \ quarta-feira, julho 19, 2023
© Direitos reservados
Condomínio diz que "equipamentos estão em domínio privado". Junta remete competências para a câmara, mas adianta que a situação "está em análise". Decisão será tomada por "técnicos especializados".

Os moradores da zona residencial da Rua de Santo António, em frente ao local conhecido como ‘a Perigosa’ estão descontentes com a relocalização dos ecopontos e do contentor de resíduos orgânicos “em zona de propriedade privada”. Jorge Cravo, administrador de vários condomínios nos blocos de apartamentos aí existentes, considera que “é um abuso” a forma como estes equipamentos de recolha e separação de resíduos foram instalados.

“Primeiro trata-se de uma zona de estacionamento, que já é curto com a colocação provisória da paragem de autocarros, e depois mesmo por questões de higiene achamos que não estão no sítio indicado”, refere, alertando que mesmo tratando-se de um local provisório os condomínios sugeriram os locais que entendem ser apropriados.

Esta indicação dos locais procedeu-se com a presença de responsáveis do município, sendo que a situação já foi exposta à Câmara Municipal de Guimarães, nomeadamente ao Departamento de Serviços Urbanos e Ambiente. “Aquela zona é propriedade privada”, ressalva, questionando, por isso, “onde está a autorização dos administradores do condomínio?”. Jorge Cravo disse ainda que esta relocalização dos equipamentos, temporária “devido ao prédio novo que está em construção” foi indicada pela Junta de Freguesia de Caldelas. “Esta localização vai ter de mudar”, termina.

Processo “em avaliação”: Junta “não toma decisões” e “quer ser parte da solução”

O Reflexo contactou a Junta de Freguesia de Caldelas, nomeadamente José Fonseca, responsável por esta área, que referiu que “a junta não toma decisões, mas sim faz parte da solução”. “Criou-se ali um problema, por parte de quem projetou e licenciou a obra. Os contentores estavam em frente à entrada da garagem e, portanto, tiveram de ser movimentados. Estão naquele local, mas ainda estão a ser alvo de análise”, sustenta José Fonseca.

O secretário da junta acrescenta que esta “é uma competência da Câmara Municipal de Guimarães”, sendo que a decisão final “será tomada por técnicos especializados mediante vários fatores”. “Já tivemos várias reuniões, há várias soluções em cima da mesa e é uma situação em análise: podem vir a ficar definitivamente naquele local, mas também pode não ser o local definitivo”, refere.

Sendo um “parceiro de proximidade, a Junta de Freguesia de Caldelas “está neste processo para ser parte da solução e para ajudar a encontrar o melhor local para a implantação do ecoponto e do contentor orgânicos”, finaliza.