05 dezembro 2021 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

Investimento privado superior a 30€milhões revoluciona oferta residencial

Bruno José Ferreira
Sociedade \ sábado, abril 24, 2021
© Direitos reservados
Vários empreendimentos residenciais estão a ganhar forma na zona das Taipas. O investimento privado tem impulsionado o setor imobiliário, pelo que nos próximos tempos serão criados mais de duas centenas e meia de fogos.

O setor imobiliário tem sofrido um autêntico boom em Caldas das Taipas e nas zonas limítrofes, mais especificamente na Vila de Ponte, junto ao Parque de Lazer da Ínsua. O rio Ave é visto como uma mais-valia que complementa a localização estratégica de Caldelas, e de Ponte, o que leva a que estejam a ser feitos vários investimentos privados nesta região.

Numa altura em que o concelho está a perder população, muito por força da falta de habitação, essencialmente nas fraldas do concelho, o tecido urbano mais a norte do concelho tem evoluído em sentido inverso. Sinal disso mesmo é o facto de nos próximos anos estarem garantidos mais 250 fogos em diversos empreendimentos, mais propriamente blocos de apartamentos que apostam num conceito de luxo.

Em três empreendimentos que estão a nascer, três projetos diferenciados, estão a ser construídos 332 apartamentos num investimento de 33 milhões de euros. O grosso centra-se em Ponte, havendo também empreendimentos nas Taipas em evolução neste momento e outros que arrancarão em breve no coração da vila.

Condomínio de luxo no loteamento Seara

Exemplo deste investimento é o empreendimento que está em fase avançada de desenvolvimento no loteamento Seara, junto ao cemitério de Caldelas numa zona residencial com vários prédios. Está a ganhar forma o empreendimento Valentina Residence, um impactante condomínio fechado de luxo composto por 32 apartamentos, dos quais seis destinam-se ao turismo.

Este condomínio conta com duas piscinas no topo dos edifícios, ginásio, parque infantil, churrasqueiras, forno exterior, lavandaria industrial, zona de lavagem e secagem de carros, e uma zona de convívio ampla com diversas valências. “Trata-se de um conceito diferenciado, um condomínio fechado de luxo. Mais do que uma habitação este empreendimento constitui-se como uma experiência num local que agrega simultaneamente o contacto com a natureza e com o meio urbano. Não temos dúvidas que é algo único e inovador em Guimarães e até mesmo no país”, refere Paulo Rodrigues, gerente da empresa Jacinto Rodrigues, que investe nesta obra sensivelmente 8 milhões de euros em apartamentos que se destinam exclusivamente a arrendamento. O custo médio de arrendamento é 750 euros mensais e o empreendimento estará totalmente concluído em dezembro de 2022.

Quase duzentos apartamentos em Ponte

No lado de Ponte, paredes meias com o Parque da Ínsua, está a ser ampliada a zona residencial existente, estando a desenvolver-se dois projetos de nomeada que, em conjunto, correspondem a quase duas centenas de fogos, mais propriamente 194 fogos.

O maior empreendimento é o Rio Ave Terrasse, um investimento privado de 15 milhões de euros que está a edificar 120 apartamentos e oito espaços comerciais que estarão todos concluídos no final de 2023, ainda que a entrega vá ser feita por fases. Os 120 apartamentos já estrão todos vendidos, um conceito também ele diferenciado com padrões de elevada qualidade. “A zona das Taipas é bastante atrativa, oferece recursos difíceis de encontrar o que leva a este investimento que se está a assistir, por gente que está a beneficiar a sua terra e a potencializar os recursos que oferece. No caso do Rio Ave Terrasse, quer a primeira fase quer a segunda, está tudo vendido para pessoas de diversos pontos do país e até internacionais que ficaram muito agradados com este projeto”, aponta a empresa Mendes Ribeiro ao Reflexo.

Paredes meias com este empreendimento está já também em construção o empreendimento Varandas do Ave, que trará a este local mais 74 apartamentos e três espaços comerciais num investimento de mais dez milhões de euros. Este empreendimento terá “uma praça que serve de ligação entre o edificado construído e proposto, servindo de charneira e interligando-os, através de um espaço de distribuição e de estar, que gera harmonia e equilíbrio, materializando-se numa nova centralidade. A conceção do conjunto almejou a criação de um espaço público qualificado, potenciando as vivências sociais”, destaca Álvaro Silva, arquiteto responsável pelo empreendimento cuja primeira fase estará concluída em setembro de 2022 e a segunda fase no final de 2025.

Artigos relacionados