28 maio 2022 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

Guimabus: 47 autocarros diários entre Caldas das Taipas e Guimarães

Bruno José Ferreira
Sociedade \ quinta-feira, janeiro 20, 2022
© Direitos reservados
Oferta alargada à zona norte do concelho, algo que não acontecia com os TUG. Uma viagem das Taipas para Guimarães, através de bilhete simples, pode custar, aproximadamente, 2,15€.

O novo ano trouxe uma mudança de cor nos autocarros vimaranenses. O verde ficou mais garrido e essa diferença de cor nota-se também na mancha pela qual o serviço público de transportes concessionado à empresa vimaranense Vale do Ave se faz notar. Guimabus é a designação da empresa que está a operar no território concelhio, substituindo a anterior concessão, que operava desde a década de sessenta e era essencialmente um serviço urbano. Sofia Ferreira, vereadora com o pelouro dos transportes, apelidou esta nova concessão de a “revolução dos transportes em Guimarães”, uma revolução que, na teoria, ser verificará no alcance da rede.

Fernando Salgado, CEO da Vale do Ave, assume que a empresa que lidera está a “trabalhar para que os vimaranenses possam andar mais de transportes públicos”, sendo esse o grande objetivo desta nova concessão, o que no entender de Fernando Salgado “só se consegue com uma boa oferta”. O diretor de operações de Guimabus, Sérgio Ferreira, dá as diretrizes do “novo paradigma dos transportes”: “Há um reforço de circulação em termos de transporte urbano, nomeadamente na linha cidade, que alarga o seu âmbito e aumenta a frequência; teremos também novas linhas, ligando-se pontos como a estação de Lordelo com o Espaço Guimarães, o Avepark e Serzedelo”.

De acordo com os números divulgados na cerimónia de apresentação da nova concessão, organizada pela Câmara Municipal de Guimarães e pela Guimabus, a nova rede de transportes de Guimarães abrange 242 quilómetros quadrados servidos por 66 linhas e 1519 paragens. Um dos principais pontos desta nova rede é a extensão mais abrangente a vários pontos do concelho.

Taipas, finalmente, no mapa da rede de transportes de Guimarães

Essa abrangência chega pela primeira vez às Taipas, cumprindo-se assim uma pretensão antiga dos taipenses. Os novos autocarros já circulam pela vila e mesmo antes da entrada em vigor da nova concessão circularam na zona norte do concelho, com a empresa responsável a realizar testes e reconhecimento das novas linhas que vão servir as Taipas.

Na rede de transportes há duas linhas exclusivamente dedicadas à ligação entre Caldelas e o centro da cidade, com 24 autocarros diários a sair das Taipas para a Central de Camionagem, nos dias úteis, entre as 6h40 da manhã e as 18h45. No sentido oposto, de Guimarães sairão 23 autocarros diários tendo como destino às Taipas, com um horário semelhante. Este serviço divide-se por duas linhas (161 e 162), uma via Caneiros e outra via Brito.

Para além das linhas a ligar a o centro nevrálgico da zona norte do concelho ao centro da cidade há ainda várias linhas a servir a zona das Taipas, tais como: Morreira – Taipas (Via Longos), Garfe – Taipas (via Gondomar), Corvite – Taipas (via São Clemente), Circular Taipas – Brito – Campelos – Taipas, Guimarães – Briteiros Santa Leocádia (via Taipas), Silvares (Espaço Guimarães) – Avepark (via Campelos),Taipas – Joane (via Brito), Pevidém – Taipas (via Brito), Pevidém (Arcol) – Taipas (via Campelos) e Ronfe (EB2/3) Ponte (via Brito e Taipas). No fundo, estas linhas irão atuar na linha do que existe com a oferta provada, nomeadamente através de empresas como Transdev, Arriva – deixará de operar – ou Bus Plus 3.

Uma viagem entre Guimarães e as Taipas, e vice-versa, de acordo com a tarifa ao quilómetro disponibilizada pela Guimabus, tem o custo de 2,15€ (via Caneiros) e 2,25€ (via Brito) através de um bilhete simples. Uma dezena de viagens pré-compradas custa 19,25€ (via Caneiros) e 20,15€ (via Brito), enquanto que, por sua vez, um passe social ilimitado custa 40,35€ (via Caneiros) e 50,90€ (via Brito).

Mais linhas, menos poluente e mais tecnológica

De uma forma geral, Sérgio Ferreira, diretor de operações da Guimabus, considera que a nova concessão “vai chegar praticamente a todos os vimaranenses”. Tendo a maior frota elétrica do país com 22 autocarros elétricos de um total de oitenta viaturas que contempla a frota mais jovem do país – idade média de 4,12 anos –, 40% dos quilómetros serão feitos com veículos elétricos. “A nossa contribuição para a pegada ecológica será significativa”, defende Sérgio Ferreira.

Uma das maiores mudanças estará na experiência do cliente, que de forma tecnológica passará a ter à disposição vários serviços de forma simplificada. Possibilidade de pagar os títulos de transporte através da rede SaltPay (Pagaqui) e até ter títulos de transporte desmaterializado no smartphone, adquirível a qualquer hora em qualquer lugar, serão realidades a introduzir neste sistema de transportes. A aplicação móvel com possibilidade de aferir em tempo real o tempo de espera e a localização dos autocarros é outra novidade da rede Guimabus. “Estamos a apostar na comunicação com os clientes, quer nas redes sociais quer no nosso site e até na imagem. Na nossa app teremos informação em tempo real para que os passageiros saibam quantos minutos faltam para um autocarro chegar a determinada paragem”, informa Sérgio Ferreira.