25 fevereiro 2024 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

Guarda-rios legalizados, a promessa do secretário de estado no Vitrus Talks

Bruno José Ferreira
Freguesias \ terça-feira, março 14, 2023
© Direitos reservados
Vitrus Talks trouxe a Ponte o secretário de estado do ambiente, que se comprometeu a "trabalhar a legalização dos guarda-rios". Grupo de pessoas manifestou-se contra a Via do Avepark.

O secretário de estado do ambiente, Hugo Pires, anunciou esta terça-feira que “o governo vai iniciar o processo de legalização da profissão e guarda-rios”, correspondendo assim ao repto de Sérgio Castro Rocha, presidente da Vitrus, empresa municipal que tem neste momento quatro guarda-rios a fiscalizar e monitorizar os cursos de água em Guimarães.

O anúncio foi feito no âmbito da primeira edição do Vitrus Talks, que juntou no Parque da Ínsua, em Ponte, para além de Sérgio Castro Rocha e Hugo Pires, também o presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Domingos Bragança, e Pimenta Machado, vice-presidente da Agência do Ambiente (APA).

Sérgio Castro Rocha, anfitrião do evento, referiu que estes encontros – Vitrus Talks – fazem parte de um “projeto mais ambicioso”, o centro de inovação, que espera ver operacional ainda este ano. Na vila com mais extensão de margens do rio Ave, o presidente da Vitrus – e também presidente da junta de freguesia local – contextualizou o renascer dos guarda-rios em Guimarães, desafiando depois o governo a legalizar a profissão.

“Todos os vimaranenses são guarda-rios”

Na sua intervenção, Sérgio Castro Rocha relembrou que Guimarães, através da empresa municipal que dirige, tem quatro guarda-rios, que só este ano, “desde o dia 1 de janeiro até ontem, já estiveram em cerca de 70 ocorrências”. Um argumento que pretendeu mostrar a importância desta função, sustentando, ainda assim, que “todos os vimaranenses são guarda-rios”.

Hugo Pires respondeu afirmativamente a este desafio, prontificando-se a “trabalhar a regularização da profissão”. Antes disso, o secretário de estado elogiou várias vezes Guimarães, “uma cidade à frente do seu tempo”, com esta reativação da profissão, alertando para os problemas que Portugal enfrente no que à água diz respeito, uma questão que pode vir a agravar-se.

À margem disso, o secretário de estado deu força à candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia 2025, dizendo que “se calhar virei cá à cerimónia de abertura da Capital Verde Europeia, pego no meu carro, ou então até venho de MetroBus”, disse.

“O país olha para nós: acredito que outros municípios terão guarda-rios”

Domingos Bragança, presidente da Câmara de Guimarães, aproveitou a ocasião para lembrar o caminho que está a ser traçado, vincando que a sustentabilidade ambiental é um desígnio do município. “Fomos escolhidos, juntamente com Porto e Lisboa, como uma de cem cidades piloto para a neutralidade carbónica”, disse.

Este é “um caminho que envolve todos”, disse o líder máximo do município, opinando que “a recuperação dos guarda-rios é uma ideia excelente”, prevendo que outras autarquias seguirão esse caminho: “Temos quatro guarda-rios e o pais olha para nós, acredito que outros municípios vão seguir este exemplo”.  

À margem do evento, um grupo de pessoas manifestou-se contra a Via do Avepark, empunhando cartazes onde podia ler-se Stop Via Avepark. A presidente da Junta de Freguesia de Prazins Santa Eufémia - Natália Fernandes - foi uma das manifestantes, pedindo no final da sessão ao secretário de estado para que olhe para esta questão.