20 junho 2024 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

Reconstrução do muro da EB1 de Vieite prolonga-se por três meses

Tiago Dias
Educacao \ terça-feira, novembro 14, 2023
© Direitos reservados
A obra no muro foi divulgada no portal Base.gov em 11 de outubro, três dias antes de a estrutura ter desabado devido à chuva e ao vento. Intervenção está orçamentada em quase 90 mil euros.

Após ter parcialmente desabado em 14 de outubro, o muro de contenção de terras da Escola Básica de Vieite, em São Clemente de Sande, vai ser reconstruído num prazo estimado de 90 dias, refere o contrato de adjudicação da obra, publicado no portal Base.Gov em 11 de outubro. Com um orçamento de 88.212,15 euros, a empreitada visa resolver um problema identificado desde 2019.

A Câmara Municipal de Guimarães encomendou o projeto de reconstrução ao gabinete Alcepi, por cinco mil euros, em 18 de fevereiro de 2022, e promoveu sondagens geotécnicas em setembro e em novembro de 2022, antes de adjudicar a obra às Construções Pardais – Irmãos Monteiros em 13 de setembro deste ano, num despacho da vereadora com o pelouro das Obras Públicas, Sofia Ferreira. A reconstrução estaria assim prestes a avançar quando o muro cedeu.

Presidente da União de Freguesias de Vila Nova de Sande e São Clemente de Sande, Tiago Rodrigues foi acompanhando o processo, “enviando alguns e-mails para a Câmara Municipal e pedindo revisões periódicas à Proteção Civil para aferir a sustentabilidade do muro”. “O feedback que fomos recebendo é o de que o muro estava fraturado, em risco de queda, mas tinha um perímetro de segurança suficiente para não haver danos pessoais”, diz. O muro, recorde-se, desabou na direção do terreno contíguo à escola e não da do recreio. O autarca diz ainda ter contactado o município na primeira semana de outubro, para saber qual o estado da obra, e já “faltava só a formalização do contrato”. “Por isso, só já estamos à espera que a obra avance”, diz ao Reflexo.

Enquanto se aguarda a reconstrução, a turma do ensino pré-escolar que ocupava a sala mais próxima do muro vai temporariamente para o lar de idosos do Centro Social Cultural e Desportivo de Sande São Clemente, ao lado da escola. “Estão numa sala que foi cedida, com acesso independente e direto à escola, onde vão almoçar. A sala tem 24 alunos”, especifica o presidente da Junta.