28 novembro 2022 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

Coelho Lima questiona Costa pela hemodinâmica do Hospital de Guimarães

Redação
Sociedade \ quarta-feira, setembro 07, 2022
© Direitos reservados
Deputado formalizou questões ao primeiro-ministro sobre a situação do Laboratório de Hemodinâmica do Hospital de Guimarães. Custou 2,5 milhões de euros, há quatro anos, mas ainda não funciona.

O depurado André Coelho Lima, vimaranense eleito pelo círculo de Braga do PSD, questionou o primeiro-ministro, António Costa, sobre a situação do Laboratório de Hemodinâmica do Hospital Senhora da Oliveira – Guimarães (HSOG).

Na exposição introdutória que faz ao primeiro-ministro, André Coelho Lima recorda que este equipamento teve um custo superior a 2,5 milhões de euros, “que não foi suportado pelo Estado”, mas sim por empresas e cidadãos.

“A comunidade mobilizou-se para promover ao seu hospital aquilo que o Estado não estava a conseguir fazer”, dá conta o deputado, relembrando que esta valência foi instalada em outubro de 2018, mas não se encontra ainda em funcionamento.

“Competia ao Estado – apenas – criar condições formais para que o Laboratório (…) pudesse funcionar. (…) Coisa que, até ao dia de hoje e quase quatro anos volvidos, o Estado não foi capaz de fazer”, refere.

Na mesma explicação, André Coelho Lima sustenta que esta pretensão de ter um Laboratório de Hemodinâmica no Hospital de Guimarães “não se trata de uma ambição local ou de uma tentativa de afirmação regional”, uma vez que a Sociedade Europeia de Cardiologia recomenda a existência de três salas de hemodinâmica por cada milhão de habitantes, quando no Minho há apenas uma sala para 1.093.021 habitantes.

Coelho Lima destaca ainda o cenário político em que a ministra da saúde demissionária, Marta Temida, frisou no debate parlamentar para o Orçamento de Estado 2022, no dia 10 de maio, que estavam a ser desenvolvidos esforços para resolver o problema “este ano, até ao verão”.

Face a estes pressupostos, André Coelho Lima questionou António Costa, por escrito e de acordo com os termos constitucionais aplicáveis, sobre o Laboratório de Hemodinâmica de Guimarães.

Questões colocadas por André Coelho Lima:

1 - Considera o Senhor Primeiro-Ministro normal e admissível a permanência, durante quatro anos, sem qualquer tipo de utilização, de um equipamento com o custo de 2,5 milhões de euros, apenas por dificuldade decisória do Governo que V.a Ex.a lidera?

2 - Tratando-se de uma liberalidade de que é beneficiário o Estado, de um ato de generosidade da comunidade, credibilizado pelo autarca local, não considera V.a Ex.a vexatório que o Estado Português não esteja capaz de se organizar, sequer, para receber um donativo da população?

3 - Tem o Governo consciência do risco acrescido de vida para a população da região do Vale do Ave, pela sua incapacidade de pôr em funcionamento um equipamento que a própria comunidade suportou?

4 - Para quando assegura o Senhor Primeiro-Ministro a abertura do Laboratório de Hemodinâmica do Hospital Senhora da Oliveira (Guimarães)? Atento designadamente, o compromisso assumido pelo Governo em sede parlamentar de que o fosse “até ao verão” (de 2022) e atenta ainda a garantia nesse sentido concedida pelo cabeça de lista do Partido Socialista ao círculo eleitoral de Braga, hoje membro do Governo liderado por V.a Ex.a?