21 julho 2024 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

António Costa demite-se do cargo de primeiro-ministro

Redação
Política \ terça-feira, novembro 07, 2023
© Direitos reservados
O governante demissionário anunciou decisão após buscas da PSP ao seu chefe de gabinete em processo de exploração de lítio. Costa confirmou ainda que processo-crime será instaurado contra si.

Empossado por três vezes, a primeira em 28 de novembro de 2015, António Costa demitiu-se esta terça-feira do cargo de primeiro-ministro. O até agora chefe de Governo anunciou a decisão depois de uma operação policial relacionada com um processo de exploração de lítio em Montalegre em que pelo menos cinco pessoas foram detidas esta terça-feira de manhã, entre as quais o empresário Diogo Lacerda Machado, próximo de António Costa, e o chefe do gabinete do até agora Primeiro-Ministro, Vítor Escária. O ministro das Infraestruturas, João Galamba, foi constituído arguido.

“É meu entendimento que a dignidade das funções de primeiro-ministro não é compatível com qualquer suspeição sobre a sua integridade, a sua conduta e qualquer suspeita de ato criminal. Por isso, nesta circunstância, apresentei a minha demissão ao senhor Presidente da República”, assumiu, ao início da tarde desta terça-feira, no Palácio de São Bento, em Lisboa.

António Costa confirmou ainda que vai ser instaurado um processo-crime contra si pela Procuradoria-Geral da República no Supremo Tribunal de Justiça. “Irá ser instaurado um processo-crime contra mim. Estou disponível para colaborar com a justiça. Quero dizer, olhos nos olhos, aos portugueses a prática de qualquer ato ilícito ou sequer qualquer ato censurável. Confio totalmente na Justiça e no seu funcionamento”, disse.

O até agora primeiro-ministro disse ainda que a demissão marca o encerramento de uma etapa na sua vida, colocando de parte a hipótese de se recandidatar numas futuras eleições, e disse ter-se dedicado “de alma e coração para servir os portugueses” nos últimos oito anos.

Artigos relacionados