08 fevereiro 2023 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

A capital da Cutelaria é nossa, e, há-de ser!

Redação
Sociedade \ segunda-feira, julho 25, 2022
© Direitos reservados
Alcobaça e Caldas da Rainha no seu conjunto, quer ao nível de operários, como de volume de vendas, de exportação de rendimento colectável juntas são em tudo menores que nós sozinhos, Caldas das Taipas

Em 18/06/2013 enviámos o Plano Curricular espanhol do Curso do cutileiro da Escuela de Cuchilleria de Albacete ao director da Escola Básica do 2º e.3º Ciclo de Caldas das Taipas, que serviu de base pedagógica para junto do Ministério da Educação obter o Curso Vocacional da Cutelaria que ali se leccionou durante alguns anos lectivos para o 8º e 9º ano escolar.

Em 27/05/2016 a directora do Museo Municipal de la Cuchlleria de Albacete e uma delegação de cutileiros albacetanos, a nosso pedido é recebida na Junta de freguesia de Caldelas/Caldas das Taipas, visitam a nossa terra, uma das nossas fábricas do sector, almoçam e aqui pernoitam.

Em 18/08/2017 e em 19/11/2018 enviámos à Junta de Freguesia literatura do museu, para manter viva a ligação da nossa localidade a Albacete, por ambas as terras serem as capitais da cutelaria dos seus respectivos países, Portugal e Espanha.

Em 24/04/2018 no Ayuntamiento de Albacete, com a participação do Museu e da APRECU Asociacón de Cuchilleria y Afines aprovam a candidatura à organização do III Encontro Mundial no ano de 2020 na sua cidade, o que foi aprovado em Maio do mesmo ano.

Em 01/06/2018 remetemos carta aos órgãos autárquicos locais, dando nota desta realização, pedindo-lhes o empenhamento na inscrição e promoção da nossa localidade no evento, que, por causa da pandemia do Covid-19 viria a ser definitivamente adiado para 10 a 12/06/2022.

A organização do Encontro coube à APRECU com a colaboração do Museu de Albacete, tendo sido remetidos convites à Junta de Freguesia de Caldelas que ostenta o título de Capital da Cutelaria de Portugal e à Câmara Municipal de Guimarães, como da mesma forma às terras portuguesas também cuteleiras da vila da Benedita do município de Alcobaça, e da vila de Santa Catarina do concelho de Caldas da Rainha. Estas 2 localidades montaram stands promocionais turísticos com bancas dos seus produtos regionais, fazendo-se representar nos dias do evento, respectivamente pelos senhores presidentes da junta de freguesia e por ambos os Vice-Presidentes municipais acima indicados, e, da nossa municipalidade nenhum representante.

Alcobaça e Caldas da Rainha no seu conjunto, quer ao nível de operários, como de volume de vendas, de exportação de rendimento colectável em cada um dos diversos indicadores ambas juntas são em tudo menores que nós sozinhos, Caldas das Taipas.

O certame contabilizou muitas dezenas de representações dos diversos pontos do mundo e contou com a presença assídua, nos 3 dias do certame do presidente da Câmara de Albacete, Emilio Saéz Cruz, e diversos vereadores. E. no sábado do presidente do governo regional, García-Page e vários deputados. Visitaram a feira e as actividades mais de uma dezena de milhares de pessoas.

Participando nas reuniões, nas conferências, nos debates, na feira, e nas visitas, de Caldas das Taipas estiveram Falcão Garcia, sócio de honra do Museu de Cutelaria de Albacete, sito na região espanhola de Castilla-La Mancha, autor da obra “Entre Navajas y Cuchillos” em posse da Junta de freguesia local; Abel Luís do fabricante Herdmar, e Carlos Marques como sócio e amigo do mesmo museu espanhol e co-autor da monografia “Guimarães na tradição das cutelarias” também entregue à referida junta, coleccionador de peças de cutelaria e por ter cedido dezenas delas, talheres, saca-rolhas, tira cápsulas, abre latas tesouras e navalhas e canivetes com a marca TAIPAS que passou a integrar a Colecção de Cutelaria Mundia. Todos ficámos muito tristes por não vermos lá os mandatados representantes da localidade de CALDAS DAS TAIPAS que é a Capital da Cutelaria do nosso país, título conferido e homologada pelo Instituto da Propriedade Industrial de Portugal, Marca nº 482547 em 28/09/2011 por direito, administrativo e de facto.

Mais triste ficamos, e até revoltados, quando a localidade de Caldas das Taipas foi chamada à outorga da Constituição da Associação Mundial das Capitais da Cutelaria que ocorreu no Centro de Congressos de Albacete,e, não tendo lá o seu representante legal, da freguesia de Caldelas, uma terra que ao trabalho deve quanto vale, foi substituída pela das Caldas da Rainha, subscrevendo-a o seu vice-presidente da Câmara lá presente.

A fábrica de cutelarias HERDMAR, à última da hora foi chamada pela organização, quando esta, depois de diversas diligências se ter apercebido que os representantes autárquicos das Taipas e de Guimarães confirmavam a sua ausência. Foi formulado o pedido à Herdmar pela facilidade de contactos, pois estivera presente no Encontro anterior realizado no ano de 2018 na cidade francesa de Thiers. 

Também à última hora, apenas com cinco dias de antecedência, foi-nos pedido para realizar um filme para apresentar ao auditório, o que, com o diverso manancial que possuímos foi concretizado, num trabalho conjunto, produção de David Ferreira e João Marques, filme de sete minutos com história e factos da cutelaria de Caldas das Taipas, que, no âmbito da educação, da ciência e da cultura sustenta a qualidade das suas competências, da criação de valor e riqueza, demonstrando a sua importância para a economia local, nacional e mundial, revelando a sua marca distintiva, o amor e o sentimento de ser taipense.

Nas páginas deste jornal, em três edições anteriores, designadamente na de Março e Abril/2020 e em Abril/2022 fomos dando conta desta realização com todos os indicadores de estudos desta indústria que tem nomenclatura própria, classificação de actividade económica específica, a da fabricação da cutelaria, que sustentam e servem as CALDAS DAS TAIPAS como sua capital, homologado à Freguesia de Caldelas pelo Instituto da Propriedade Industrial em 28/09/2011, e, obviamente por direito próprio é a única capital portuguesa do sector, as demais portuguesas são só localidades cuteleiras.

No mundo inteiro há 28 capitais da cutelaria, uma das quais CALDAS DAS TAIPAS e diversas outras localidades cuteleiras, distribuídas pelos 5 continentes.

Este foi o epílogo com o desenlace das autoridades administrativas locais, abstraindo-se, não estiveram ao lado da qualificação das competências dos nossos operários e empresários da cutelaria de Caldas das Taipas, onde, desde logo e a nível nacional compreendendo todos os sectores de actividade económica no segmento até 250 empregado tem a melhor empresa do país entre centenas de milhares, a Cutipol.

Estamos num tempo político local que até parece proibido ser bairrista, apaixonarmo-nos pela nossa terra, defendermos os seus interesses.

Como poderemos construir o presente e o nosso futuro, se não honrarmos o passado?

O mesmo parece não se passar em Guimarães, e, hoje mesmo o Snr. Ministro da Administração Interna disse na cidade:”…não há lugar sem memória, nem memória sem lugar…”

Falcão Garcia, Abel Luís e Carlos Marques, no dia de São João Baptista, o padroeiro dos cutileiros, que aqui dá lugar a feriado no ano de 2022