PUB
Wladimir Brito: “Os serviços técnicos das câmaras deste país são focos perigosíssimos de corrupção”
Wladimir Brito: “Os serviços técnicos das câmaras deste país são focos perigosíssimos de corrupção”
Quinta-feira, Junho 15, 2017

A coordenadora do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, esteve esta terça-feira em Guimarães para acompanhar o lançamento da candidatura de Wladimir Brito, independente apoiado por aquele partido à Câmara Municipal.

A desburocratização e a desconcentração dos serviços da Câmara são uma das bandeiras do candidato do Bloco de Esquerda, Wladimir Brito, que alerta que “os serviços técnicos das câmaras deste país são focos perigosíssimos de corrupção porque controlam completamente as licenças”.

O jurista sublinhou que “o munícipe se vê obrigado a entrar num esquema de corrupção não por vontade própria mas porque é induzido pelo sistema”. Catarina Martins mostra a mesma preocupação: “As autarquias têm sido um espaço muito pouco escrutinado e conformado demais com práticas clientelares que se perduram durante décadas e é preciso olhar para o problema e o combater. É o autarca que dá qualquer coisa em vez de responsabilizar o autarca em representar da melhor forma a população que está a servir”.

Outras das ideias chave do discurso de Wladimir Brito centra-se na cultura e pela forma como “não se pode permitir que se monopolize politicamente este setor”: “as Câmaras tomam conta da cultura e fazem cultura, não permitem que os artistas concebam, promovam e difundam a sua cultua. É a própria Câmara que faz isto tudo e convida quem quer”.

“Como cidadão que participa nos destinos cívicos e culturais de Guimarães fui verificando que quando um partido está muito tempo no poder começa a criar uma mentalidade de ser ‘dono disto tudo’” e a exercer os mandatos “com algum autoritarismo”, pontuou. Esclareceu que as “as pessoas começam a ter medo em participar porque a Câmara é uma grande empregadora, a Câmara tem a gestão de muitos equipamentos sociais que dá emprego e dá sossego às pessoas”. “Sob o ponto de vista ideológico é isto que pesa sobre as pessoas”, focou.

Já Sónia Ribeiro, candidata à presidência da Assembleia Municipal, coloca nos eleitores a reflexão de vários temas, nomeadamente a questão do trabalho, preocupando-a a proliferação de grandes espaços comerciais que tiram público ao comércio tradicional. “A regulação dos horários é da responsabilidade da Câmara e fazem-no sem consultar os agentes neste processo, como são os trabalhadores”.

Pedro Soares, deputado do BE eleito pelo círculo de Braga, que também esteve presente na sessão de apresentação, destacou que a “candidatura do Bloco enche de orgulho porque é uma candidatura de identidade e é uma candidatura para disputar politicamente o debate no município”. “É uma candidatura que nós queremos que venha a decidir as políticas de Guimarães”, terminou.