Visita às Caldas das Taipas dos alunos da Faculdade de Medicina de Lisboa (1914)
Quinta-feira, Janeiro 24, 2019

Ao folhearmos a edição de 27 de julho de 1914 (2.ª série, nº440), da revista “Ilustração Portuguesa”, publicação semanal do jornal “O Século”, editado em Lisboa, encontrámos a referência de que, os alunos do 3.º ano, da Faculdade de Medicina de Lisboa, realizaram uma excursão durante 25 dias, a algumas estâncias termais portuguesas.

Nesse artigo intitulado “A excursão aquista dos estudantes da Faculdade de Medicina de Lisboa”, da autoria de Assis Brito (filho), e profusamente ilustrado com clichés fotográficos, ao longo de três páginas, temos conhecimento de que durante 25 dias, 20 estudantes, aproveitando o facto de não haver exames no 3.º ano, realizaram uma visita de estudo, pelas termas da Guarda, Felgueira, Luso, Caldas de Vizela, Caldas das Taipas, Gerês, Mondariz, Entre-os-Rios, Moledo, Monção, Vidago e Cucos. Nesta notícia é referenciado pormenorizadamente o itinerário desta excursão que abrangeu desde o Algarve até à Galiza. Após a visita ao Porto, Caldas de Vizela, e Guimarães, o grupo excursionista visita as Caldas das Taipas. Relativamente às Taipas é dito:

visitamos as Caldas das Taipas, pequena mas muito elegante instalação balnear”.

A acompanhar esta descrição das Taipas é reproduzido um cliché fotográfico do grupo, frente ao edifício dos “Banhos Novos” (inaugurados em 1908), acompanhado por uma funcionária do estabelecimento termal. Segundo a legendagem desta fotografia, no grupo encontra-se o Dr. Alfredo Fernandes, diretor clínico do balneário, que acompanhou os excursionistas durante a visita a esta estância termal. Após a visita às Taipas, o grupo descolou-se à cidade de Braga, ao Bom Jesus e às termas do Gerês.

O Dr. Alfredo Fernandes médico e diretor clinico das Termas das Taipas, nasceu na freguesia de Pinheiro (Vieira do Minho) a 14 de janeiro de 1886 e faleceu a 15 de junho de 1941. Em 1922, foi um dos fundadores e dirigente do Clube de Caçadores das Taipas. Durante a I República assume alguns cargos camarários. Na toponímia das Caldas das Taipas existe uma artéria com o seu nome. Participou na IV secção do I Congresso Nacional de Turismo realizado em Lisboa em 1936, com a comunicação “Termas das Taipas Estância de Turismo”. Publicou ainda as seguintes monografias dedicadas às Caldas das Taipas: “Estância hidro-mineral das Taipas: dissertação inaugural apresentada à Faculdade de Medicina do Porto”, Porto, Tipografia da Enciclopédia Portuguesa, 1912; “Estância Termal das Taipas: Guia termal”, Vila Nova de Famalicão, Tipografia Minerva, 1921.