PUB
Vimágua volta a contestar posição do presidente da Junta de Caldelas
Vimágua volta a contestar posição do presidente da Junta de Caldelas
Manuel Silva
Quarta-feira, Setembro 6, 2017

A Administração da Vimágua emitiu novo comunicado, relativamente ao recente transbordamento de um coletor de saneamento para o Ribeiro da Agrela, voltando a contestar a posição de Constantino Veiga e reiterando responsabilidade na Águas do Norte S.A..

Na sequência do comunicado emitido pela Junta de Freguesia de Caldelas de que demos conta no passado dia 1 de setembro, a Vimágua volta a abordar um assunto, numa nota distribuída à imprensa, onde “reitera que o transbordamento ocorrido no passado dia 29 de agosto se registou numa caixa de visita da responsabilidade da empresa concessionária do sistema de saneamento em alta, “Águas do Norte, S.A.”, à qual compete garantir o bom funcionamento do coletor/intersetor em causa e respetivas caixas de visita. Com efeito, o serviço de saneamento em “alta”, nos concelhos de Guimarães e Vizela, está concessionado à “Águas do Norte S.A”, cabendo, pois, àquela empresa promover as reparações e as obras que se afigurem necessárias ao bom funcionamento do sistema.”.

Acrescenta a Vimágua que “o Presidente da Junta de Caldelas está equivocado naquilo que são as suas obrigações. Era, pois, seu dever objetivo comunicar à entidade responsável por aquela infraestrutura o ocorrido, no sentido de uma pronta resolução do problema, ainda que o viesse a participar às entidades fiscalizadoras. Só não o fez, porque quis criar um circo mediático à volta do assunto, tentando, assim, colocar em causa, ainda que sem qualquer fundamento, a Vimágua e os seus responsáveis, vindo o presente comunicado, que aqui se contradita, a corroborar isso mesmo”.

Relativamente à referência no comunicado emitido pela Junta de Freguesia de Caldelas, ao afirmarem que “é esta a qualidade medíocre de democratas que exercem o poder em empresas públicas municipais”, a Administração da Vimágua diz não devolver o insulto “por uma questão de boa educação” referindo, no entanto, não poder deixar de sublinhar que a linguagem utilizada “é bem representativa do nível primário que caracteriza a ação política do Presidente da Junta de Caldelas”.