PUB
Unidade que vai vigiar reacção a medicamentos inaugurada em Guimarães
Unidade que vai vigiar reacção a medicamentos inaugurada em Guimarães
Sexta-feira, Janeiro 13, 2017

Nova valência do Hospital Senhora da Oliveira funcionará em parceria com o Infarmed e terá como principal objectivo a monitorização de reacções a fármacos. Área de abrangência cobre um total de milhão e meio de habitantes.

O secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado, inaugurou sexta-feira, 13, a Unidade de Farmacovigilância de Guimarães, que se dedica ao processamento e análise de reações adversas a medicamentos. A nova valência do Hospital Senhora da Oliveira (HSO), que surge de uma parceria com o Infarmed, vai cobrir os distritos de Bragança, Viana do Castelo, Braga e Vila Real, o que corresponde a cerca de 1,5 milhões de habitantes.

Através de um protocolo de colaboração entre o Infarmed e o HSO foi criada a Unidade de Farmacovigilância de Guimarães, que está em atividade desde 1 de janeiro de 2017. Esta unidade está sediada nas instalações do hospital e tem autonomia técnica e administrativa, sendo financiada através de contrato de prestação de serviço com o Infarmed. Está vocacionada para a colaboração na avaliação de processos de âmbito europeu, da responsabilidade do Infarmed, na colaboração na deteção de sinal de segurança e/ou qualidade e na realização de estudos de farmacoepidemiologia ou segurança de medicamentos.

Neste âmbito, informa-se ainda da importância do portal de Reações Adversas a Medicamentos (RAM), com acesso através do site do Infarmed, que permite a notificação de reações adversas por profissionais de saúde ou utentes, recolhendo assim informação sobre suspeitas de reações adversas a medicamentos. A notificação de reações adversas por profissionais de saúde ou utentes é fundamental para a monitorização contínua da segurança dos medicamentos.

A inauguração da Unidade de Farmacovigilância de Guimarães decorreu durante a manhã de sexta-feira, no Hospital de Guimarães, tendo contando ainda com a presença do presidente do Conselho Diretivo do Infarmed, Henrique Luz Rodrigues.

Texto Catarina Castro Abreu