PUB
Unidade hoteleira de Guimarães pode tornar-se espaço de retaguarda para a Covid-19
Unidade hoteleira de Guimarães pode tornar-se espaço de retaguarda para a Covid-19
DR
Terça-feira, Novembro 3, 2020

Domingos Bragança, afirma a necessidade de criar unidades preventivas de retaguarda hospitalar. “Temos de ter sempre vários cenários”, indica.

Em visita ao Lar Rainha D. Leonor, da Santa Casa de Misericórdia, Domingos Bragança aproveitou para partilhar algumas medidas que têm vindo a ser tomadas no combate à pandemia.

Apesar do agravamento concelhio de casos, que acabou por afetar o lar visitado, o presidente da Câmara de Guimarães afirma que o Hospital tem sido muito bem gerido pela sua direção e que há formas já pensadas de responder a esta crise.

Em causa, estão planos de retaguarda, que a autarquia tem desenvolvido para possíveis cenários, como a disponibilização de espaços hoteleiros para receber doentes infetados por Covid-19. “Estamos a aumentar a resposta pelo menos para 60 camas para doentes que continuam a precisar de internamento, mas já estão em convalescença, que precisam de apoio de enfermagem e médico, mas que não podendo ter alta porque em casa não encontram a situação adequada para ter alta, possam-na ter no Verbo Divino. É isso que estamos a reforçar. E já estamos a prever outras. Se for necessário ter um hotel para apoio aos doentes de Guimarães, também o temos. Só por prevenção, nós temos de ter sempre vários cenários!” declarou Domingos de Bragança.

O presidente da Câmara acrescentou que, se necessário, o Hotel Open Village é um dos espaços que poderá cooperar com este plano.