PUB
Uma viagem pelos sons de Portugal este sábado no Auditório dos Bombeiros das Taipas
Quarta-feira, Fevereiro 1, 2017

Inserido no projeto cultural Excentricidade – Outros palcos mais cultura, o Auditório dos Bombeiros Voluntários das Taipas recebe este Sábado, 4 de Fevereiro, pelas 21.30 horas, um espetáculo musical interpretado por “Gallaecia”.

Um grupo de instrumentistas, com voz de Clarisse Fernandes, proporcionará um espetáculo de pouco mais de uma hora, revisitando temas, alguns conhecidos, resgatando as sonoridades e propondo um mergulho na memória de uma identidade do norte da Península Ibérica, criando uma ponte com a contemporaneidade.

Tomando como base as sonoridades do imaginário da tradição portuguesa, o espetáculo cria um percurso que atravessa todo o imaginário do cancioneiro popular e antigo passando por temas que facilmente captarão e atenção e participação do público.

A voz de Clarisse Fernandes, será acompanhada por Sofia Rego (Flauta), Hugo Ribeiro (Oboé), André Silva (Clarinete), Ana Bastos (Fagote) Bruno Leite (Percussão) e Sara Vilaça (Teclado) num alinhamento que abre com o tema “A Moda do Entrudo”. Segue-se “Meninas Vamos à Murta”, “Ó Margarida Moleira”, “Não Quero que Vás à Monda”, “Folhinha do Salgueiro”, “Lenga Lenga”, “Vareira Descansada”, “La Galhina”, “A Moda do Pastor”, “Romance Dom Fernando”, “Roró”, “Tirioni”.  Para fechar com chave de ouro nada melhor que um Medley de revisitação pelos sons de Portugal.

Este espetáculo está inserido no projeto cultural EXCENTRICIDADE – OUTROS PALCOS MAIS CULTURA. Projeto desenvolvido pela Câmara Municipal de Guimarães e que tem como objetivo estratégico a criação de novas centralidades de consumo/criação artística e cultural (no domínio da dança, música, teatro e cinema). O projeto pretende atuar no território concelhio, em novos palcos, e oferecer a mesma filosofia encetada nos espaços culturais da cidade: acrescentar novas camadas de significado cultural ao sedimentado, criar novas oportunidades para públicos e criadores, gerar mais patamares no desenvolvimento do cidadão enquanto ser cultural e contribuir para o fortalecimento das relações humanas, da cidadania responsável, do esclarecimento e da partilha.

O custo de entrada é de um euro.