PUB
Um pequeno olhar sobre a formação
Quinta-feira, Agosto 2, 2007

Podemos de facto comprovar que há uma enorme necessidade em diferenciar os patamares do ensino do futebol. Não é só pelos aspectos tácticos, técnicos, capacidades motoras que nos devemos preocupar, mas também pelo desenvolvimento integral do jovem atleta. Não nos podemos esquecer que nem todos os jovens vão ser jogadores profissionais de futebol, mas poderá ser através do futebol que poderão desenvolver muitos valores de extrema importância para vida.

O futebol é dos desportos que apresenta uma complexidade muito grande ao nível do seu ensino. Esta modalidade por ter características acíclicas complica ainda mais o desenvolvimento das capacidades físicas dos atletas, sobretudo em crianças e jovens.

A grande dificuldade que encontramos no ensino do futebol é a operacionalização das bases teóricas no terreno.

Todo o ensino tem o seu “timing” daí a prudência de sabermos quais os momentos propícios para desenvolver as capacidades físicas de uma criança. Não nos podemos esquecer que as crianças não são homens em ponto pequeno como referia Claparéde em 1937.

Os clubes terão de ter em conta o tipo de competição em que os seus atletas competem, pois as progressões deverão ser reajustadas à realidade de cada clube. Mas as etapas não são para ser saltadas senão a estrutura não se manterá sólida.

Poderíamos pensar que os grandes clubes estão sempre na linha da frente quanto ao ensino do futebol, mas mesmo eles estão demasiado preocupados com o resultado (ganhar) levando normalmente a uma especialização precoce do jovem atleta.

O crescimento dos jovens pode variar consideravelmente e principalmente numa faixa etária entre os 12 e 14 anos. Acontece normalmente termos, no mesmo escalão, jovens com alturas muito diferentes, uns são muito baixos e outros muito altos. Os jovens nestas idades poderão crescer até 10cm, quando o crescimento é brusco os atletas tendem a perder alguma coordenação, têm uma perspectiva visual diferente devido a sua altura e por norma tendem a perder resistência visto que os seu crescimento é normalmente mais rápido que o desenvolvimento fisiológico.

Convém que tenhamos a consciência daquilo que pedimos aos nossos atletas, cada idade é uma idade e cada jovem é um jovem.