PUB
Transportes
Sexta-feira, Maio 29, 2020

O tema do transporte público coletivo saltou novamente para a agenda.

A ausência de carreiras de autocarros no concelho e o caso “TAP” deixou os cidadãos apeados nesta tentativa de regresso à normalidade.

Em Guimarães, pura e simplesmente deixamos de ter uma rede de transportes a funcionar. O regresso às aulas dos alunos do secundário foi perturbado pela ausência deste serviço essencial e os trabalhadores que retomaram os seus postos de trabalho estão a ser confrontados com a mesma dificuldade.

Este é um tema antigo para o qual o PSD, em vários momentos, apresentou uma posição muito clara. Guimarães devia dominar a gestão de uma rede pública, investindo em novas linhas, levando o transporte público coletivo a todo o concelho. Só assim poderíamos contribuir para fomentar a utilização deste meio de transporte e garantir a coesão do território.

Nem é uma questão ideológica, até porque defendemos que, se necessário, devia existir uma empresa municipal que garantisse com eficácia este serviço ao invés de uma concessão com o objectivo de não representar custos para a autarquia.

Se há setores estratégicos, o dos transportes é um deles seguramente. Por isso, nesta matéria não se deve poupar porque se trata, na sua essência, de serviço público.

Na Europa, e já em algumas cidades Portuguesas, o transporte público é gratuito para estimular o seu uso em detrimento do automóvel. Em Braga, as suas 74 linhas estão a funcionar em pleno. Em Guimarães ainda estamos a meio de um concurso público para uma nova concessão…

A pandemia veio provar que estávamos certos. Os transportes pararam em Guimarães porque não existe uma rede concelhia gerida pelo município, que assegure, pelo menos, as linhas prioritárias.

Enquanto se mantiver esta visão dos transportes, continuaremos a correr atrás do prejuízo, encontrando soluções de recurso.