PUB
Taipenses empenhados em melhorar o mundo
Taipenses empenhados em melhorar o mundo
© Direitos Reservados
Segunda-feira, Outubro 9, 2017

Durante seis semanas, dois jovens taipenses estiveram envolvidos numa missão de voluntariado numa escola de uma cidade no centro da Tailândia. Apesar de curta a experiência, Diogo Antunes e Marco Marques asseguram que foi suficiente para moldarem a sua perceção sobre o mundo e sobre as suas diferenças.

Desde meados de julho que Diogo Antunes e Marco Marques embarcaram numa aventura de seis semanas que os marcará para o resto das suas vidas.

Os taipenses, estudantes da Universidade do Minho, rumaram até à Tailândia em voluntariado. A sua missão seria ensinar o inglês a crianças da cidade de Nakhon Ratchasima, localizada no centro do território daquele país asiático, entre o Índico e o Pacífico.

A ideia de partiram para esta aventura de seis semanas partiu de um contacto na AIESEC da Universidade do Minho. Esta organização internacional é uma das maiores organizações estudantis do mundo, presente em 126 países. Promove o desenvolvimento das capacidades de liderança na população mais jovem, de forma a formar cidadãos ativos, responsáveis e empreendedores.

Este conjunto de competências é fomentado por via de várias experiências capazes alargar os horizontes dos participantes, sendo que estes programas são dirigidos sobretudo a jovens estudantes recém graduados.

O projeto no qual estão a participar Diogo Antunes e Marco Marques visa especificamente promover uma educação de qualidade.

Ambos com 21 anos, Marco Marques é estudante de Marketing e Diogo Antunes está a terminar o mestrado integrado em engenharia e gestão industrial. Este último é também atleta do CART e na bagagem levou umas dezenas de camisolas do clube, com as quais vestiu um grupo de jovens estudantes de Nakhon Ratchasima, conforme se pode comprovar na foto ao lado.

Num país com 68,5 milhões de habitantes e 510km2 de território continental, a cidade onde os taipenses estão localizados é uma das maiores cidades do país, com 166 mil habitantes (um pouco mais do que a população do concelho de Guimarães). Banguecoque é a capital do país, localizada a sudoeste desta cidade.

Ao chegar, Diogo e Marco rapidamente constataram as diferenças culturais existentes entre o seu país de origem e uma cidade do interior da Tailândia. Preparados para enfrentar condições adversas, através de formações de preparação na AIESEC e na Assumption University, já na Tailândia, os jovens taipenses dizem não ter criado grandes expectativas: “prepararam-nos para os piores cenários e aconselharam-nos a adotar as expectativas mais baixas possíveis”, explicam.

Assim que chegaram a Banguecoque, Marco e Diogo ficaram instalados na Assumption University, relativamente perto de Banguecoque, onde conheceram os outros participantes neste programa de voluntariado, provenientes de todas as partes do mundo. Durante três dias tomaram contacto com aspectos dos costumes e da cultura do país.

A escola Anuban, onde estiveram a dar aulas de inglês a crianças dos três aos 12 anos, que frequentavam desde o jardim de infância ao sexto ano de escolaridade, situa-se bem no centro da cidade, ao lado de uma movimentada artéria da cidade que a corta no sentido longitudinal.

Sobre as impressões que ficam de uma experiência que, apesar breve, se afigurará no futuro como motivo de lembrança e orgulho: “inesquecível, é uma experiência que nos marca para a vida”, começam por dizer, acrescentando que “o sentimento de fazer algo cujo objetivo é ajudar a melhorar o mundo em que vivemos é gratificante”.

Sobre os contrastes que encontraram não têm dúvidas que servirão para o enriquecimento pessoal de cada um: “o facto de vivermos situações às quais não estávamos habituados, conhecermos pessoas muito diferentes de nós e lidarmos com uma realidade diferente da nossa, por si só mudou a nossa perspetiva do mundo e fez-nos valorizar muito mais coisas que temos aqui e que muitas vezes não valorizamos porque tomamo-las por garantidas”, concluem.

Artigos Relacionados