PUB
Taipas Turitermas atingiu barreira do milhão de euros de faturação
Taipas Turitermas atingiu barreira do milhão de euros de faturação
Quarta-feira, Março 15, 2017

A cooperativa termal das Caldas das Taipas, no mesmo ano que viu reforçada a participação do seu cooperante maioritário, inverteu o sinal dos resultados operacionais. Em 2016, registou um aumento de 66% no volume de faturação. No exercício anterior esse crecimento ficou-se pelos 5%.

Os cooperantes da Taipas Turitermas reuniram-se em assembleia geral no passado 8 de março, para a análise e votação das contas relativas ao exercício de 2016, documento que foi aprovado por unanimidade. Este ano foi o primeiro em que a cooperativa termal teve em funcionamento a clínica médica de saúde durante um ano completo. Esta unidade de negócio, historicamente importante nas contas da cooperativa, traduziu-se nos resultados de 2016, representando três quartos do volume de faturação da Taipas Turitermas.

Durante o ano passado a cooperativa contou com um aumento de capital por parte do seu acionista maioritário. A Câmara Municipal de Guimarães reforçou a sua participação e o capital social passou a ser de 1 milhão e 40 mil euros – mais 135 mil euros do que anteriormente. O exercício de 2016 evidenciou a inversão do sinal dos resultados operacionais, que passaram de negativos para positivos, a par do volume de negócios que atingiu pela primeira vez a fasquia do milhão de euros.

Os resultados positivos são reflexo direto da entrada em funcionamento, já com novas instalações e novos equipamentos, da clínica médica que, só por si, representa uma fatia de 75% do valor de faturação registado em 2016 pela Taipas Turitermas – uma quebra ligeira relativamente a 2014, mas mesmo assim com um peso muito significativo nas contas da empresa de capitais maioritariamente públicos.

Nas outras áreas de negócio, registou-se igualmente um crescimento, com destaque para as piscinas que registaram em 2016 um total de 42 mil entradas. Este resultado representa a segunda área de negócio em termos de peso, com 10% do volume de faturação. O ano passado ficou marcado pela inversão das tendências registadas em 2015, um ano muito marcado pelas obras no edifício termal.

Analisando a componente termal – juntando estância termal, o SPA termal e os cosméticos a faturação ascende aos 166 mil euros, representando 15% do volume total. Este foi o primeiro ano na história da cooperativa em que o termalismo clássico funcionou durante um ano completo. Para 2017, a direção renova a sua intenção de lançar uma nova linha de cosméticos, uma vertente que cresceu 75% em 2015, mas que em valores absolutos representa um peso marginal nas contas totais.

O ano de 2016 não foi ainda o pleno em termos de funcionamento de todas as áreas de negócio. O parque de campismo esteve encerrado, em virtude das obras da sua requalificação, que se iniciaram a par da reconstrução do polidesportivo. Esta intervenção, cuja conclusão deverá verificar-se nos próximos meses, já tem data de inauguração anunciada – será a 29 de junho, durante o decorrer das festas da vila. Esta intervenção permitirá o funcionamento do parque de campismo durante todo o ano.

O polidesportivo será igualmente uma valência importante para a dinamização dos ativos da empresa. A direção da Taipas Turitermas diz estar já a trabalhar com as entidades ligadas ao desporto, com vista à elaboração de um regulamento no sentido de definir regras para a utilização futura daquele equipamento.

De forma geral, de acordo com o relatório apresentado aos cooperantes, os serviços e os produtos da Taipas Termal (marca da Taipas Turitermas) tiveram procura além do esperado e o ano passado foi marcado por um alargamento dos recusos humanos, particularmente nos serviços de fisioterapia e reabilitação física. A direção da Taipas Turitermas espera que, em 2017, se verifique um aumento da procura dos seus serviços e dos seus produtos. Os esforços serão direcionados no sentido de atrair novos clientes.

Artigos Relacionados