Sócios do Taipas aprovam Plano de Atividades e Orçamento para 2017-2018
Quarta-feira, Novembro 1, 2017

Os associados do Clube Caçadores das Taipas reuniram na noite do dia 30 de outubro, no Auditório dos Bombeiros das Taipas, para analisar e votar os Relatórios de Atividades e Contas respeitantes à época 2016-2017, bem como, para apreciar, discutir e votar o Plano de Atividades e Orçamento para a época 2017-2018 que já se encontra em curso.

Relativamente ao primeiro assunto em cima da mesa, a Direção presidida por João Pedro Ribeiro, fez um relatório de Atividade detalhado sobre a atividade do Clube de que destacamos a alusão aos mais de duzentos jovens praticantes em competição, repartidos entre escalões federados (165 atletas) e não federados (56 atletas). Nota também para os resultados desportivos obtidos pela equipa de juniores, com o título regional da AFBraga e consequente subida à 2ª divisão nacional do escalão e, em juvenis, com a subida à divisão de honra da AF Braga. Ainda pelos escalões jovens, a Direção destacou a conquista da Ligamini pela equipa de petizes. Pelo futebol sénior, alusão ao 9º lugar final na divisão pró-nacional da AFBraga e ao afastamento prematuro, no primeiro jogo disputado (3ª eliminatória), na Taça da AFBraga, frente ao Vieira.

Relativamente ao Relatório de Contas da época 2016-2017, a tendência de recuperação do passivo manteve-se, apesar de ter diminuído a parcela a abater, comparativamente com exercícios anteriores. Em todo o caso, a exercício em causa iniciou com um passivo de 32.199,42 euros e termina com saldo negativo de 30.387,12 euros. Ou seja, no final do da época 2016-2017, o Clube Caçadores conseguiu um saldo positivo de 1.812,30 euros em resultado da diferença entre o total da receita, que foi de 161.852, 84 euros e o total da despesa, que se cifrou em 160.040,54 euros. Para a época que já se encontra em curso, transita um saldo negativo de pouco mais de 30 mil euros.

Estes dois documentos, depois de colocados à discussão e sem que qualquer associado se tivesse pronunciado ou colocado qualquer questão, foram aprovados por unanimidade.

Passou-se de imediato à apresentação do Plano de Atividades para 2017-2018 tendo a Direção do Clube apontado para um exercício de continuidade, tranquilidade e estabilidade apontando como principal objetivo “dotar o clube das melhores condições físicas e humanas para o desenvolvimento das atividades estatutárias”. Para o efeito, apontaram-se “cinco áreas chave”: o futebol de formação, o futebol sénior, a área financeira, o património e a atividade associativa. Todas estas área, de uma forma geral, apontam para um trabalho de continuidade e consolidação do que a Direção taipense tem vindo a realizar nos últimos anos. Destacamos, ao nível do património, as intervenções que estão em agenda para os próximos tempo, sendo que, no caso da beneficiação dos balneários, as obras têm mesmo de avançar dentro da maior brevidade possível, por forma a não comprometer o apoio já conseguido de 26 mil euros por parte do Instituto Português do Desporto e da Juventude (IPDJ).

Aliás, é nas intervenções patrimoniais que assenta mais de metade do orçamento previsto para a época 2017-2018. No documento dado a conhecer aos associados, a Direção do Clube prevê uma receita de 161 mil euros, proveniente da Câmara Municipal de Guimarães (100 mil para balneários, 35 mil para obras no campo nº 3 – que já iniciaram) e do IPDJ (26 mil euros para obras nos balneários). Os restantes 150 mil previstos, num orçamento que totaliza os 310 mil euros, são para fazer face às habituais despesas diretamente relacionadas com a atividade desportiva do Clube. Em traços gerais, as maiores fatias vão para os custos com a atividade desportiva, em subsídios, deslocações e custos com pessoal (65 mil euros), AFBraga (20 mil euros), água, eletricidade e combustíveis (22 mil euros), material médico, desportivo e de escritório (10 mil euros) e obras de conservação e reparação (10 mil euros).

Neste ponto da ordem de trabalhos, depois da intervenção do associado Jorge Freitas, numa questão que foi prontamente clarificada pela Mesa da Assembleia-geral, os associados também foram unanimes na sua aprovação.

Breve referência ainda para a pouco participação dos associados nesta assembleia que, na sua totalidade, pouco mais foram que uma dezena.

 

Contas 2016-2017

Receitas

Futebol sénior – 6.294,43

Formação – 40.107,50

Donativos – 29.072,23

Publicidade/patrocínios – 42.664,50

Sócios/quotização – 21,287,50

Subsídios cmg p formação – 10.000

Outros subsídios – 2.155,08

AF Braga – 1.000,00

Junta Freguesia – 600,00

Outras receitas:

Aluguer instalações – 8.671,50

 

Total Receitas – 161.852,84

 

Despesas

Imobilizado e Investimentos com viaturas e transportes – 12.000

Obras e construções – 2.826,55

AF Braga – 21.672,50

Água, eletricidade e combustíveis – 20.024,24

Conservação e reparações – 6.257,11

Deslocações e estadias – 1.577,31

Higiene e limpeza – 1.572,39

Impostos – 2.054,89

Material desportivo e de escritório – 11.218,53

Policiamento – 1.928,99

Seguros – 1.671,65

Outros – 1.419,68

Outros custos com atividade desportiva – subsídios, deslocação de pessoal e outros – 66.352,53

Outros devedores e credores de exercícios anteriores – 9.484,17

Total Despesas- 160.044,54

 

Saldo 1.808,30

 

Saldo gerência anterior (-32.199)

Resultado exercício – (-30.387,12)

 

Orçamento e plano atividades 2017-2018

Receitas

fut sénior – 10.000,00

fut formação – 40.000,00

donativos e festas – 25.000,00

publicidade e patrocínios – 35.000,00

sócios e quotizações – 20.000,00

subsídios

cmg – balneários – 100.000,00

cmg – campo nº 3 – 35.000,00

cmg – formação – 10.000,00

JF – 5.000,00

IPDJ – 26.000,00

Outras receitas – 4.000,00

Total Receitas – 310.000

 

Despesas e gastos

Obras reabilitação balneários – 126.000,00

Campo nº 3 – 35.000,00

Outras obras e construções – 3.000,00

AFBraga – 20.000,00

Água, eletricidade e combustíveis – 22.000,00

Conservação e reparações – 10.000,00

Deslocações e estadias – 2.000,00

Higiene e limpeza – 1.500,00

Impostos – 5.000,00

Material desportivo e de escritório – 10.000,00

Policiamento – 2.000,00

Seguros – 3.000,00

Outros – 3.500,00

Outros custos com atividade desportiva – subsídios, deslocação de pessoal e outros – 65.000,00

Outros devedores e credores de exercícios anteriores – 2.000,00