PUB
Sessão Solene da Assembleia de Freguesia: as frases e as fotos
Segunda-feira, Junho 26, 2017

Foram entregues as condecorações da freguesia ao CART, ao CC Taipas, ao escritor Ferreira de Castro e à família Agrellos. Recorde aqui alguns dos momentos da sessão solene comemorativa da elevação de Caldas das Taipas a vila.

Foram apostas quinta-feira, 22 de junho, as condecorações da vila de Caldas das Taipas. Este ano, foram entregues as Medalhas de Honra ao escritor José Ferreira de Castro e à família Agrellos. Esta última imposição não foi possível por ausência dos representantes da família.

De acordo com a fundamentação das propostas, que foram aprovadas por unanimidade na Assembleia de Freguesia de 12 de junho de 2017, a família Agrellos teve um importante papel na atual configuração da vila de Caldas das Taipas, tendo sido fundamental no seu processo de desenvolvimento. Das várias doações que efetuaram à freguesia resultaram “evidentes benifícios coletivos para a populaçao de Caldas das Taipas”.

Foi altura também para lembrar e homenagear o escritor José Maria Ferreira de Castro pela consideração vertida na sua literatura que, como foi por várias vezes lembrado, está infinitamente espalhada pelo mundo, dadas as inumeras traduções existentes. Ferreira de Castro é o autor português traduzido em mais idiomas. É dele a famosa frase descritiva da vila – “a terra onde a lua fala”.

Além destas duas condecorações, foram ainda entregues Medalhas de Mérito a duas das mais representativas insituições taipenses – o Centro de Actividades Recreativas Taipense (CART) e o Clube de Caçadores das Taipas, fundamentais na promoção, divulgação e desenvolvimento do desporto na freguesia de Caldelas. Esta homenagem foi uma “manifestação de gratidão e uma chamada de atenção para que a sociedade conheça e apoie estas instituições” – lê-se na fundamentação.

Intervieram na sessão os três representantes das bancadas dos partidos politícos com assento na assembleia – Cândido Capela Dias (CDU), Luís Soares (PS) e Franclim Freitas (JpG); Mário Ribeiro e Constantino Veiga, na sua última intervenção numa sessão solene comemorativa do 19 de junho, como presidente da junta; e Domingos Bragança, presidente da autarquica municipal.

Os feitos e a relevância dos condecorados foram sublinhados por todos. Mas o momento foi igualmente aproveitado para algumas trocas de argumentos políticos. As mensagens subliminares relativas aos papéis de cada um não faltaram, não estivessem as eleições autárquicas a poucas semanas de ocorrerem. Aqui ficam algumas frases que destacamos da noite solene de Caldelas.

Cândido Capela Dias

“A festa não é nossa, a festa é dos homenageados. As figuras que nas Taipas trabalham, contribuem para levar o nome das Taipas mais longe, para fazer a vida dos taipenses melhor, merecem o nosso reconhecimento.”

Luís Soares

“Não é homenageado hoje mas é porventura a figura mais relevante no requerimento e no processo de atribuição do estatuto de vila que Caldas das Taipas logrou obter – João Antunes Guimarães. Devemos recordá-lo a cada ano, a cada 19 de junho.”

“Ferreira de Castro é o autor português com mais obras traduzidas para outros idiomas. Apesar disso, da sua vasta e de qualidade obra literária, Ferreira de Castro não é um dos escritores que consta do catálogo obrigatório da leitura do programa de português.”

“Estou certo que o futuro alargamento do desenvolvimento da vila continua a passar por uma vontade recíproca de dar melhor utilidade pública ou privada aos espaços e aos prédios da família Agrellos. Assim sejamos capazes de o fazer.”

“Nos últimos anos fomos deixando para trás alguns dos nossos melhores, gente que poderia ter dado o seu contributo, que poderia ter ajudado no desenvolvimento da nossa terra. O desafio para futuro é não deixar ninguém para trás.”

“Perdemos o espírito de comunidade. Nos últimos anos temos assistido a um diálogo de surdos, conflitos sem sentido, discursos agressivos que não nos têm levado a lado nenhum”.

Franclim Freitas

“Apesar de ser vila há 77 anos, [Caldas das Taipas] só celebra o seu dia especial desde há 12 anos. A iniciativa de celebrar o seu dia coincide com a data de elevação a vila. Foi uma iniciativa pioneira, agora seguida por outras freguesias que se querem projetar.”

“Na nossa história mais recente, existe a tentação de se assumirem protagonismos, paternalismos e outras autorias não conformes com o desiderato da defesa da coisa pública.”

“Nenhuma força política ou ente autárquico pode ser desligado das opções fundamentais que se adotem para as Taipas. Afinal, é essa a essência da democracia numa das suas dimensões – o pluralismo democrático, que implica a participação de todos na construção da coisa pública.”

“De uns anos a esta parte, os investimentos feitos nas Caldas das Taipas, na área dos equipamentos termais e de turismo descuraram a sua envolvente. Começaram a casa pelo telhado. Tem agora o município a oportunidade de remediar esse erro. É possível voltar a ouvir o Ave como Ferreira de Castro o ouvia.”

“Esta figura [delegação de competências] mereceu a mais alta resistência de aplicação prática por parte dos municípios. Estes são especialistas em desvendar problemas inultrapassáveis em cada proposta de negociação, para esconder a falta de vontade em delegar e fazer com que as intervenções no território da freguesia sejam de mão da entidade mais próxima.”

Constantino Veiga

“Senhor presidente [Domingos Bragança], por vezes ocorre-me: por que razão a freguesia não tem mais património próprio? […] Eu não faço outra coisa senão pedir terreno para isto, terreno para aquilo. Porque peço? É no mínimo estranho.”

“No Taipas surge a necessidade de mais e melhores condições, com mais um campo de futebol, balneários e outros equipamentos de apoio. É justo que os possam receber. No CART, as instalações são muito exíguas para receber mais de duzentos atletas. Hoje, pedir esta justa homenagem será para mim pedir um novo pavilhão para o CART. Sei que está ao seu alcance.”

Mário Ribeiro

“Nas taipas, a palavra rutura, separação, autonomia, diferenciação provocam redobradas atenções.”

“As expectativas dos taipenses são elevadas porque há muitos projetos, muitas obras, muitas intervenções urbanísticas que as Taipas precisam. Mas, acima de tudo, esta elevada esperança deve-se às muitas obras prometidas. […] As propostas, para já, não passam de boas intenções. E de boas intensões, todos sabemos que está o inferno cheio.”

“É tempo de estar alerta e tempo de dizer a esta assembleia que é tempo de cooperar em vez de competir e que os interesses das Taipas e das suas gentes têm que estar acima dos interesses pessoais e de algumas megalomanias que por aí se praticam.”

“Como pode alguém ser titular democrata, se não cumpre as leis que a própria democracia criou? Estou, claro, a referir-me à lei de delegação de competências”

“Desejo, em nome de todos os taipenses, que o futuro presidente da Câmara Municipal de Guimarães, num período muito curto, possa ser nomeado para ser homenageado nesta data, sinal que tratou bem as pessoas das taipas e as pessoas que cá vivem.”

Domingos Bragança

“Nós compreendemos bem como a vila se fez e se faz. como esta comunidade assume sentimentos de identidade e de pertença.”

“Não, senhores presidentes, ninguém pede nada. O que apresentam é propostas. Propostas que têm que ser discutidas, bem argumentadas, bem fundamentadas e perseguidas no sentido de as fazermos e realizarmos.”

“Temos para a vila das Taipas 9 milhoes de euros para a EB 2,3, que inclui já um pavilhão gimnodesportivo. E temos também, a centralidade das Taipas, que não é uma ideia abstrata, o projeto já custou à câmara 250 mil euros. Essa obra não vai ficar por menos de 5 milhões de euros. O que dá 14 milhões de euros. Estas obras são irreversíveis.”

“Estou disponível, com certeza, em cooperação com a Junta de Freguesia, e com outras insituições, a uma edição da obra de Ferreira de Castro. Uma edição que tenha a ver com as Taipas. Podemos trabalhar nesse sentido.”

Artigos Relacionados