Sempre o 25 de Abril
Quinta-feira, Abril 20, 2017

Foi há 43 anos atrás que o Povo Português emergiu de um dos mais negros períodos da sua História. Hoje celebramos e comemoramos a Revolução de Abril, realização ímpar da luta do povo português.

Mas, o 25 de Abril de 1974 não foi apenas um dia. Foi o resultado de décadas de luta abnegada, corajosa e perseverante do povo português que, mesmo nas condições mais adversas, mesmo sob o jugo da censura, da tortura e da repressão mais brutais, construiu o caminho da revolução. Todos esses combatentes democratas e anti-fascistas merecem a nossa sentida homenagem e o nosso reconhecimento!

A Revolução de Abril constituiu uma realização da vontade popular, uma afirmação de liberdade, de emancipação social e de independência nacional, que sempre contou com o estímulo e o empenhamento do Partido Comunista Português, que nunca cedeu nem desistiu perante as mais esmagadoras tentativas de silenciamento, decisivo na luta pela conquista da liberdade e da democracia, o PCP interveio em todo este processo como força política insubstituível e determinante. O seu papel na Revolução de Abril e na fundação do regime democrático inscreve-se como um dos maiores feitos da sua história.

A Revolução de Abril, culminando uma prolongada e heróica luta anti-fascista, pôs fim a 48 anos de ditadura, à guerra colonial reconhecendo aos povos colonizados em luta o direito à independência, ao isolamento internacional de Portugal e realizou profundas transformações políticas, económicas, sociais e culturais que abriram na vida do País a perspectiva de um novo período da história marcado pela liberdade e pelo progresso social.

A conquista e instauração das liberdades, dos direitos dos cidadãos e de um regime de democracia política foram inseparáveis da liquidação do poder económico e político dos grupos monopolistas e dos latifundiários, através das nacionalizações, do controlo operário e da Reforma Agrária.

A classe operária, os trabalhadores, as massas populares e os militares progressistas – unidos na aliança Povo-MFA – desempenharam um papel fundamental em todas as conquistas democráticas, que foram depois consagradas na Constituição da República Portuguesa, aprovada em 2 de Abril de 1976, e que são hoje assimiladas como naturais, como sejam o vasto conjunto de direitos, liberdades e garantias que o fascismo punha em causa.

Comemorar e lutar por Abril nesta nova fase da vida política nacional é tomar a iniciativa de recuperar e materializar na vida os seus valores, desde logo os valores da justiça social, com a valorização do trabalho e dos trabalhadores e dos direitos sociais universais de todo o povo à saúde, à educação, à segurança social e à cultura.

Valores que nos orientam nos caminhos da construção de uma vida melhor para o nosso povo.

25 de ABRIL, sempre!