Reuniões de Câmara passam para as segundas-feiras
Reuniões de Câmara passam para as segundas-feiras
Alfredo Oliveira
Quinta-feira, Outubro 17, 2019

A última reunião do executivo vimaranense realizada às quintas-feiras aconteceu na manhã deste dia 17, numa sessão descentralizada realizada no Salão Paroquial de Atães. A próxima, por deliberação do executivo, já será numa segunda-feira.

A eleição de André Coelho Lima como deputado à Assembleia da República, nas eleições legislativas de 6 de outubro, impedem-no de marcar presença nas reuniões do executivo vimaranense, face ao trabalho parlamentar.

Perante esta situação, André Coelho Lima, pretendendo continuar a exercer as suas funções enquanto vereador, solicitou ao presidente da Câmara que as reuniões passassem para as segundas-feiras.

Domingos Bragança deu a conhecer, na reunião de 3 de outubro, a sua anuência ao pedido do vereador do PSD. Na manhã desta quinta-feira, por “manifesto interesse público de que se reveste a situação”, ficou oficializada essa mudança.

Esta reunião descentralizada ficou marcada pelos assuntos trazidos antes da ordem do dia. O executivo voltou a trazer a Bloom Consulting, empresa que recentemente apresentou um estudo que pretende definir o posicionamento de Guimarães no turismo nacional e internacional, bem como a estratégia que lhe permita reforçar o papel da atividade turística na economia do concelho, estudo que foi alvo de várias críticas principalmente pela relação da qualidade do trabalho apresentado face aos 100 mil euros gastos. Filipe Roquette deu conta do que foi feito e da fase de implementação que se segue.

Mais uma vez se verificou que Bruno Fernandes e Domingos Bragança estão mesmo em campos opostos. O vereador do PSD destacou a recente descarga poluidora no Rio Selho e apelou a que a “Câmara passe a ter uma atitude mais incisiva” para com as Águas do Norte, solicitando mesmo que a Câmara intente uma ação judicial contra esta empresa, como fez a Câmara de Vizela.

Domingos Bragança respondeu que esse caminho seria o mais fácil, mas que não avançaria nesse sentido, mantendo o trabalho que está a ser implementado, “trabalhar com as entidades competentes, organizar e criar uma equipa de trabalho técnico, tendo em vista a despoluição dos cursos de água do concelho”. O presidente da Câmara acrescentou que “será o mais revoltado” com estes derrames poluidores, mas acredita que o trabalho feito no terreno na promoção de uma maior consciência ambiental, nomeadamente através das Brigadas Verdes, permitirá uma maior vigilância do património ambiental e natural concelhio.

A outra divisão fez-se sentir na visão estratégica para o vale de S. Torcato. Bruno Fernandes referiu que a quebra populacional que se regista nesta área do concelho se deve à falta de novas zonas habitacionais. Domingos Bragança afirmou que “não contassem com ele para estragar a riqueza natural do vale de S. Torcato”.

Nesta reunião foi ainda aprovado um voto de pesar pelo falecimento de Diogo Freitas do Amaral.