Retomando as escavações
Quinta-feira, Junho 27, 2019

Aspecto das ruínas da habitação onde se irão levar a efeito as escavações na Citânia de Briteiros.

Há sensivelmente um ano atrás publicávamos aqui acerca do regresso às escavações arqueológicas na Citânia de Briteiros. A campanha realizada em Julho de 2018 propiciou a publicação de alguns textos no Reflexo acerca dos resultados então obtidos nos trabalhos realizados no balneário Este e numa grande casa localizada na encosta sudeste da Citânia.

Se a intervenção no Balneário Este foi dada por concluída, a intervenção no referido conjunto doméstico foi apenas iniciada. Grande parte das informações recolhidas resultaram apenas da limpeza e registo fotográfico deste espaço habitacional, posto que as valas de sondagem projetadas foram apenas iniciadas. Assim, concluiu-se dessa campanha que esta grande casa terá sido habitada pelo menos no século I da nossa Era; que dispunha de um grande átrio central lajeado, por onde se entrava no conjunto; que o átrio tinha uma área coberta utilizada pela família para práticas rituais; que a casa parecia dispor de um sistema de abastecimento de água…

A campanha projetada para 2019 irá dar seguimento ao estudo deste conjunto com a escavação de vários pontos da casa. Terá como objetivos determinar a função de alguns compartimentos que rodeavam o átrio central, bem como afinar a cronologia de construção da casa e procurar indícios do que terá existido neste espaço antes da construção desta domus.

Estará então na Citânia, durante todo o mês de Julho, uma equipa formada pelos técnicos da Sociedade Martins Sarmento e vários estudantes de Arqueologia da Universidade do Minho, com o apoio logístico da Casa do Povo de Briteiros, que irão dar seguimento aos trabalhos arqueológicos nesta casa. As escavações podem ser observadas diariamente pelos visitantes, que poderão assim testemunhar o processo e colocar questões à equipa.