PUB
Recortes ambientais
Quinta-feira, Março 28, 2019

Estas últimas semanas, como aliás já vem sendo habitual, as notícias sobre questões relacionadas com o ambiente proliferam nos órgãos de comunicação social locais, quase que competindo com a prim(azia) das notícias desportivas.

Não fosse alguém estar distraído com o futebol, fiz um pequeno resumo e comentário de algumas dessas notícias:

1. Vitória quer plantar 5.000 árvores
Pois é, já nem nas notícias desportivas estamos a salvo dessa “coisa verde” que infesta a comunicação em Guimarães. Foram plantadas 30, mas o objetivo são 5.000 árvores, ao que se junta a retirada dos artigos de plástico dos bares do estádio, e ainda “um projeto para impedir a sujidade causada pelas aves que voam em torno do estádio”. Estou curioso e receoso! Será que vão cortar as árvores para não haver aves? Exportar os “bichos” para a Rota da Biodiversidade da Penha? Fraldas? Uma águia a sobrevoar o espaço? Não, águias não, nunca!

2. Plano Municipal da Defesa da Floresta Contra Incêndios (PMDFCI)
A Câmara Municipal de Guimarães colocou em consulta pública o PMDFCI, podendo os cidadãos dar o seu contributo ou colocar questões até ao dia 2 de Abril. A notícia veio acompanhada com a importante informação de que “Guimarães é um dos primeiros concelhos do país a avançar já com a terceira geração do PMDFCI”.

3. Plano Transportes
Não tive oportunidade de estar presente, mas decorreu ontem a apresentação pública da “Proposta de Rede” do Plano de Transportes de Guimarães, que juntamente com o Plano Mobilidade Urbana Sustentável, serão as referências para o futuro da mobilidade no concelho.

4. Porque não reciclo?
Com o mote “Porque não reciclo? Quais os incentivos que podem dar?”, decorreu mais uma reunião do Conselho Consultivo da Estrutura de Missão Guimarães 2030. Entendo que esta abordagem está ultrapassada, que a reciclagem é um paliativo, e o que nos deviam perguntar é “Porque produzo resíduos? Como o posso evitar?”. Mais uma vez a notícia veio com a importante informação de que “em matéria de resíduos urbanos Guimarães é um exemplo, mas ainda há muito para fazer.”

5. Limpeza de linhas de água
No Dia Internacional de Acção pelos Rios houve limpeza de linhas de água. Nas Taipas foi a ribeira da Canhota e na cidade foi a rio de Selho. Claro está que não podia faltar a importante informação (não factual) de que Guimarães é “a única cidade portuguesa que o celebra” este dia.

6. Barragem de Fridão
Ainda que não sendo em Guimarães, a barragem de Fridão não deixa de ser um assunto que interessa a todos os que têm preocupações ambientais, e em especial para quem luta pela sustentabilidade das linhas de água. Assim, aqui fica o desafio para se informarem sobre o tema, e caso discordem da sua construção, não deixem de fazer valer a vossa voz assinando a petição que está disponível online. Hoje é no Tua e em Amarante, amanhã pode ser no Ave e nas Taipas.